15 de dez de 2014

SPring




A Entre Aspas é uma editora experimental do curso de Produção Editorial da nossa colaboradora Juliana.

Nesse semestre, o pessoal da Entre Aspas produziu o curta-metragem Spring, baseado no conto Babas do Diabo de Julio Cortazar.

Vale a pena conferir, pois o resultado ficou excelente.


9 de dez de 2014

Resenha: Série Desaparecidos - Meg Cabot




Coleção: DESAPARECIDOS
Editora: Record
Livros: Quando caiu o raio, Codinome Cassandra, Esconderijo Perfeito e Santuário.

Gosto tanto dessa autora que não conseguiria escrever resenha só de um livro... então vai a coleção inteira para todo mundo se animar para ler! Haha
Eu ainda tenho, muito forte em mim, um lado que ama literatura infanto-juvenil e a Meg Cabot é uma das minhas escritoras preferidas! Amo o jeito dela escrever e como ela consegue ser divertida, dramática e sarcástica tudo junto!

Olhem a sinopse da série no site da editora: Em divertidas tramas juvenis ela é imbatível. Dona de um humor rápido e atual, capaz de fazer piadas com fatos que acabaram de acontecer no universo pop, Meg Cabot segue soberana no trono de rainha das adolescentes. Depois de tomar o universo literário de assalto com O diário da princesa, e criar personagens capazes de grande identificação com seu público, ela inova mais uma vez, com uma série sobre superpoderes fadada ao sucesso.

Mas então, vamos para a história...
Jessica Mastriani é uma adolescente que está vivendo todos os nervos do colegial e tem um certo problema de gerenciamento de raiva, ou seja, gênio ruim (como diz o site da editora). Por outro lado, ela é uma ótima amiga e, em uma das vezes que resolve apoiar sua melhor amiga e volta andando para casa, Jessica é atingida por um raio.
Ela acordada transtornada, com um pequeno machucado mas até aí, tudo certo né?
Só que, ao acordar no dia seguinte, Jessica acorda sabendo a localização de crianças que estavam desaparecidas
Na teoria, isso parece ser uma coisa boa... ajudar crianças desaparecidas a voltar para suas família.
O problema é que a FBI está atrás de Jessica, existem crianças que não querem ser encontradas e bom... ao decorrer dos livros os poderes dela tomam uma proporção beeeem maior.
Sugiro aproveitar que já saiu uma boa parte da coleção e ler um atrás do outro. Eu demorei muito para ler todos e, assim, quase esquecia alguns nomes.
O jeito que a Meg escreve é sensacional! Acho incrível como ela consegue fazer a gente querer ler mais e mais e não parar até a última página.
Também indico como um bom presente de natal. Haha
Boa leitura!
Juliana

5 de dez de 2014

Lançamento: Vou te contar


Fundo Vou te contar

A editora Rocco prepara para o próximo dia 08 o lançamento do livro Vou te Contar - 20 histórias ao som de Tom Jobim.


O livro reúne histórias inspiradas na música do maestro.


capa tom jobim


"Fundamental é mesmo o amor. E também a música e a literatura"

"Em Vou te contar – 20 histórias ao som de Tom Jobim, um time de 20 escritores de todas as partes do Brasil homenageia o autor de Wave e outros clássicos da música brasileira com histórias inspiradas em suas canções, 20 anos após sua morte.

De nomes conhecidos a estreantes, cada autor escolheu uma música entre as 36 de autoria exclusiva de Antônio Carlos Jobim e deixou sua imaginação falar de amor, beleza, dor ou saudade, a partir de composições como “Bebel” (André de Leones), “Luiza” (Lúcia Bettencourt), “As praias desertas” (Marcelo Moutinho), “Fotografia” (Carlos Henrique Schroeder), “Cai a tarde” (Silviano Santiago), “Ligia” (Mirna Portella), “Águas de março” (Vinicius Jatobá) e “Falando de amor” (Menalton Braff), entre outras. 

Um tributo emocionante e original a um dos maiores gênios da música brasileira".

Fonte: www.rocco.com.br

Ouça aqui a playlist que inspirou o livro.


Resenha: Por isso a gente acabou



Título: Por isso a gente acabou
Autor: Daniel Handler
Editora: Seguinte (Cia. das Letras)
Ano: 2012
Pág.: 366

SINOPSE:
Quem nunca teve o coração partido? MinGreen, uma garota aficionada por filmes cujo sono é ser diretora de cinema, está padecendo dessa dor. Depois de apenas algumas semanas de um relacionamento intenso com Ed Slaterton, que além de ser o melhor do time de basquete da escola é um gato, está sozinha e cheia de lembranças amargas.
Para dar fim a esse sofrimento, ela decide entregar ao ex-namorado uma caixa repleta de objetos que de alguma maneira se tornaram significativos para o casal: ingressos de cinema, uma máquina fotográfica, um elástico de cabelo, um caminhãozinho de brinquedo, um pacote de camisinha, "todo suvenir de amor que a gente tinha, os prêmios e os destroços dessa relação, que nem confete na sarjeta depois que o desfile passa, o tudo e o não sei que mais chutado para o meio-fio", como ela mesma define.
Junto da caixa, Min deixa uma carta em que fala sobre cada um desses objetos, o episódio que ele representaram na história dos dois, sempre acrescentando novas razões para o rompimento. Esse é o texto de Por isso a gente acabou, que, narrado por uma adolescente de coração dilacerado porém com um ótimo senso de humor, é carregado de um tom informal e tragicômico, traduzindo com um misto de simplicidade e profundidade a história de uma separação.


Olá todo mundo!
Dessa vez eu vim fazer uma resenha do livro Por isso a gente acabou, publicado pela Companhia das Letras.
Me indicaram esse livro a muito tempo, mas fiquei a espera de uma promoção para poder comprar porque ele é um pouco salgadinho.
Mas, vamos lá! É um romance dividido em vários pequenos contos que formam a narrativa final. O livro é lindo e, em cada capítulo que começa um trecho da história, tem uma ilustração. Foi super bem feito e atrai bastante quem está na livraria.
A história é uma menina contando para o ex-namorado o motivo que eles não deram certo. A cada capítulo, ela pega algum objeto que fez parte da história dos dois e conta o que tem de especial por trás desse objeto e, assim, conta “no presente” porque eles não deram certo “no passado”.
O sentimento do livro é um pouco triste, mas o que eu achei gostoso é que você acaba entrando completamente na vida da personagem porque ela conta cada sentimento de cada parte do namoro com todas as emoções possíveis e aí você sente tudo junto com ela, as raivas, alegrias, aquele nervoso de começo de namoro, as tristezas e as surpresas.
Quando me indicaram, o que me atraiu foi a história mesmo... achei muito diferente dos outros romances que são publicados.
É uma leitura gostosa e rápida pois o livro não é muito profundo e nem cheio de grandes acontecimentos... É superficial mas não deixa de ser um bom livro!
Acho que pode ser uma boa indicação para quem está procurando algo fora dos padrões para ler nas férias, para distrair e relaxar.
É isso aí! Beijos.
Juliana

28 de nov de 2014

A Invenção de Morel - meu primeiro livro.

Olá, pessoal!
Bom, como eu já contei várias vezes aqui, eu estou cursando Produção Editorial. E, como o blog é sobre livros e a minha faculdade também, dá para compartilhar várias coisas, né?
Esse semestre eu fiz uma disciplina chamada Design Editorial. A professora escolheu um livro e cada aluno tinha que "criar" o seu. Criar é fazer a capa, diagramar todo o miolo, escolher fonte, tamanho, papel e etc.
O livro escolhido foi A invenção de Morel de Adolfo Bioy Casares, um importante escritor argentino e muito conceituado. Essa obra já foi lançada pela editora Cosac Naify e tem uma pegada bem psicológica. É um clássico, então com uma leitura um pouco mais densa, mas vale a pena ler.
A história é sobre um fugitivo da polícia que, desesperado, se refugia em uma ilha conhecida como portadora de uma praga que "mata de fora para dentro".
Ao decorrer dos dias, ele encontra várias pessoas na ilha, inclusive Faustine, uma mulher que desperta o interesse do personagem.
O estranho e o mistério da ilha é que nenhum dos habitantes interage com o refugiado e parecem não conseguir vê-lo.
"Não foi como se não tivesse me ouvido, como se não tivesse me visto; foi como se seus ouvidos não servissem para me ouvir, como se seus olhos não servisse para ver."
Interessante, né? Vale a leitura!
Voltando ao trabalho... aqui vão algumas fotos do resultado final!

Juliana


 

27 de nov de 2014

Dois lançamentos Disney: Os Caminhos da Floresta e Cinderela.



2015 chegará com dois lançamentos Disney que prometem movimentar os cinemas: Caminhos da Floresta com estréia prevista para 1º de janeiro e Cinderela, para abril.

Caminhos da Floresta foi baseado no musical da Broadway "Into the Woods" e conta a história de um padeiro e sua esposa que foram amaldiçoados por uma bruxa e não podem ter filhos. Para quebrar o feitiço, os dois invadem histórias dos Irmãos Grimm para ajudar os personagens.
Veremos Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, João e o pé de feijão e Rapunzel.
O elenco conta com a espetacular Meryl Streep no papel da Bruxa e Johnny Depp como o Lobo Mau.









Assista ao trailer: Caminhos da Floresta

Trailer e imagens do site Adoro Cinema.




Já em abril, estréia Cinderela, que conta a história que já conhecemos tendo Cate Blanchett como a Madrasta da princesa.

Cinderela : Poster


Cinderela é interpretada pela atriz Lily James e o príncipe é Richard Madden. Agora imaginem quem é a fada madrinha.... Helena Bonham Carter! A malvada Belatriz Lestrange de Harry Potter mudou de lado e agora é do bem!.

Assista o trailer: Cinderela

Resenha: A princesa de gelo

Título: A princesa de gelo
Autora: Camilla Läckberg
Editora: Planeta
Ano: 2010
Pág.: 365
ISBN: 978-85-7665-526-8

SINOPSE:
A biógrafa Erica Falck volta à sua cidade natal, a pequena Fjällbacka, em busca de um lugar sossegado para concluir seu próximo livro e resolver algumas questões referentes ao inventário da morte de seus pais. Em pouco tempo, Erica percebe que a cidade em que cresceu já não é mais uma tranquila vila de pescadores, por estar sendo invadida por um crescente número de turistas.
Ao mesmo tempo em que tenta adaptar-se às transformações da cidade, Erica Falck recebe uma dura notícia: Alexandra Wijkner, sua amiga de infância, é encontrada morta na banheira da casa onde morou quando criança despertando a suspeita de suicídio. Porém, nem tudo se encaixa. Por que alguém atraente, confiante e tão cheia de vida como Alex daria fim à própria vida? Por que Alexandra estava em Fjällbacka e não em Göteborg com seu marido?
Erica parte, então, em busca por respostas que a levará a desvendar mentiras e segredos guardados a sete chaves e capazes de mudar o destino de muitos.


Se você gosta de romances policiais e ainda não conhece a escritora Camila Läckberg tem que corrigir isso já! Isso mesmo, os livros dela são excelentes. Camila é uma escritora Suéca que é considerada a nova Agatha Christie. Não arrisco afirmar que seja a verdade mas já é uma credencial e tanto, não é?

A princesa de gelo foi o primeiro livro publicado no Brasil, pela Editora Planeta e é a primeira aventura de Erica Falck, uma biógrafa que retorna a sua cidade natal para terminar seu livro e resolver questões familiares e de repente se vê envolvida na investigação da morte da amiga de infância Alex. Erica foi umas primeiras pessoas a ver Alex morta: deitada na banheira, com a água congelada ao seu redor, contrastando com o vermelho do sangue. A princípio, todos, inclusive Erica, acreditaram se tratar de suicídio, mas logo é levantada a hipótese da garota ter sido assassinada e Erica se envolve na investigação juntamente com o detetive Patrick Hedström.

A história é muito bem contada, com muitos personagens e todos bem construídos. O desenrolar da trama faz com que fiquemos tentando descobrir seu desfecho e assim avançamos na leitura de maneira natural. Enquanto vamos acompanhando o avanço das investigações, também testemunhamos o início de um envolvimento entre os dois personagens, Erica e Patrick e seus dramas pessoais.

Aliás, os dois personagens seguem protagonizando mais três histórias publicadas no Brasil: Gritos do Passado, O cortador de pedras e O estranho.






A escritora tem outros livros, mas desconheço sua publicação no Brasil. Sei que foram publicados em Portugal pela Dom Quixote, que pertenceu ao grupo Planeta no passado e hoje é parte da Leya


Para você que curte livros de suspense, eu indico com entusiasmo a sua próxima leitura: A princesa de gelo.

24 de nov de 2014

Resenha: Daniel - Minha Estrada


Título: Daniel, minha estrada
Autor: José Daniel Camilo, depoimento dado a Tom Cardoso.
Editora: Benvirá (Saraiva)
Ano: 2014
Pág: 208
ISBN: 978-85-8240-078-4

SINOPSE:
Com trinta anos de carreira, mais de 13 milhões de discos vendido e tendo vivido muitos altos e baixos, Daniel achou que era hora de contar toda a sua história. Desde a infância em Brotas, passando pela perda de seu grande parceiro até o auge de sua carreira solo, Minha Estrada, conta, nos mínimos detalhes, por que Daniel é hoje o príncipe da música brasileira.

"Através do violão abraço todos os que fizeram parte da minha vida"



Sou fã do cantor Daniel já a alguns anos. Gosto de suas músicas e o admiro como pessoa pública, pela humildade e simplicidade. Sempre tive a impressão de que ele é uma daquelas pessoas que não deixaram o sucesso "subir à cabeça". Essa biografia reafirmou a ideia que tenho dele, apesar de conhecer agora também seu lado "não-príncipe". 
Isso mesmo, Daniel conta nesse livro toda a sua trajetória, falando de todos os assuntos que o cercam: a infância em Brotas, a criação um tanto rigorosa, o amor pelo seu irmão Gilmar, a perda do seu grande parceiro João Paulo, suas angústias, as fofocas sobre sua sexualidade, seus namoros, seus casos e por fim, o encontro do amor e a formação da família.
O livro foi escrito com depoimentos do próprio Daniel, alguns familiares e amigos ao jornalista Tom Cardoso e é todo ilustrado com imagens das diversas fases da vida do cantor. 
Daniel reconhece nesse livro as pessoas importantes em sua trajetória, os amigos que ajudaram a fazer dele a pessoa que é hoje.

A passagem mais conhecida do público é morte do cantor João Paulo, que levou Daniel a pensar em abandonar a música para sempre.

"Mas essa alegria toda não durou muito - tempos depois,eu perdi o meu parceiro e já não conseguia mais sequer me imaginar subindo num palco".

Mas tem outras histórias, menos conhecidas do público, como a amizade com a loiras: 
"Falei da Hebe, da Xuxa e da Ana, três amigas loiras e muito queridas. Falta falar da quarta loira,(...). Estou falando da Eliana.(....) E menos gente ainda sabe que eu era louco pela Eliana, tinha uma quedinha por ela. Na verdade, uma quedona".

Daniel também abriu seu coração e contou sobre a antiga namorada Luciana, com quem ficou por 12 anos (na maioria do tempo, negando em público estar comprometido) e início do relacionamento com a dançarina Aline (a quem declara ser o amor de sua vida) enquanto estava com Luciana. Conta a sua batalha para conquista-la até a chegada de suas duas filhas. 
Com serenidade e peito aperto, Daniel fala também da fofoca de ele ser gay. Conta como isso já o incomodou e até como já o ajudou.
Com o mesmo desprendimento, relata algumas passagens de encontros amorosos em uma fase (após a morte do João Paulo) em que ele se sentia perdido e sem rumo. A fase não-príncipe de Daniel.

Com Minha Estrada, pude conhecer mais a fundo a carreira dele, com todas as dificuldades e glórias. Além do trabalho social que ele realiza em Brotas e suas conquistas profissionais.

Mas uma das coisas que mais gostei de conhecer, foi a sua inspiração e o motivo que o fez começar a cantar ainda menino, seu irmão Gilmar, que sofre de paralisia cerebral por falta de oxigenação no parto:

"Tinha cinco ou seis anos. Minha grande alegria era cantar para o Gilmar. Vê-lo feliz, alegre, mais calmo". 

Com certeza, ler Minha Estrada só me fez admirá-lo mais. Uma pessoa humilde sim, que teve seus momentos de incertezas, nem sempre tomou as decisões certas, assim como todos nós. Um cantor que pelo histórico de sucesso, merece nosso reconhecimento por ainda ter os pés no chão, valorizar sua família e não esquecer de onde veio.


17 de nov de 2014

ENCERRADA - Quer ganhar o livro SETE ANOS da Fernanda Torres? Então, INDICA AÍ!

PROMOÇÃO ENCERRADA




PROMOÇÃO INDICA AÍ

Será sorteado no dia 15 de dezembro de 2014,  1 (um) exemplar autografado do livro Sete Anos, escrito pela Fernanda Torres e publicado pela Companhia das Letras.


Para participar você deve seguir as etapas abaixo:

1. Curtir e compartilhar o post da promoção no facebook, em modo público 

2. Curtir a página da Estante da Ana no facebook: https://www.facebook.com/estantedaana

3. Acessar o blog Estante da Ana, seção O LEITOR INDICA e escrever nos comentários uma indicação de leitura. Um livro que você leu e gostou.
A indicação deve conter: Título, autor e porque você gostou do livro.

4. Acessar o aplicativo Sorteie-me e validar sua participação: sorteiefb.com.br/tab/promocao/405038

Regulamento: 

a. O participante deve residir no Brasil;
b. Só fará jus ao prêmio a pessoa sorteada que tenha cumprido todas as etapas acima descritas;
c. O vencedor será divulgado na página da Estante no facebook e no blog e tem o prazo de 5 (cinco dias) para entrar em contato informando seus dados de correspondência para envio do prêmio;
d. O prêmio será postado no prazo máximo de 10 (dez) dias após o recebimento dos dados de correspondência do ganhador.

14 de nov de 2014

Noite de Estréia



Ontem foi "Noite de Estréia" no Cine Jóia em São Paulo: uma noite de autógrafos diferente promovida pela Companhia das Letras para o lançamento dos livros Sete Anos, da atriz e escritora Fernanda Torres e Put Some Farofa, de Gregório Duvivier, colunista da Folha de SP e um dos idealizados do Porta dos Fundos, onde trabalha como ator e roteirista.

E a Estante da Ana estava presente para conhecer essas duas novidades e trazer para os nossos leitores! E tem surpresa no final....

O evento começou com a apresentação dos autores e com o Gregório fazendo a leitura de uma das crônicas do livro da Fernanda. Depois foi a vez de Fernanda, ler um dos textos de Gregório ("Pardon anything", pág 113 - hilário!).

Na sequência a dupla fez um bate-papo descontraído, com temas como a vida dos cariocas em São Paulo, mídias sociais e até política. O bate-papo foi um momento gostoso de assistir: duas pessoas inteligentes, trocando ideias com pitadas (é claro!) de humor.




Encerrando a noite, os escritores receberam os leitores para fotos e autógrafos. 







Agora nossa surpresa para vocês: Está vendo esse livro que a Fernanda está autografando para mim? 


Então.. ele será sorteado aqui na Estante para um de nossos leitores!

Fiquem atentos que na próxima semana lançaremos a promoção em nossa página no Facebook e aqui no blog.


Saiba mais:

Sete anos aqui.

Put some farofa aqui.

Lançamento: Put some farofa - Gregorio Duvivier

Gregorio Duvivier, que com certeza você conhece de Porta dos Fundos ou das crônicas publicadas na Folha de S.Paulo, lançou seu livro Put some farofa, pela Companhia das Letras, com uma coletânea de seus textos.

"Se o prédio tivesse trinta andares, gosta de imaginar o ascensorista em eu delírio, talvez desse tempo de namorar a moça bonita que trabalha no último andar. Mas não, tem apenas nove.
“Quais são os integrantes da banda Planet Hemp?”, o PM interroga o motorista durante uma blitz exclusiva para o uso da maconha.
Ao jogador de futebol que fez voto de castidade, Deus diz: “Transa pra mim”.
E ao cliente que pergunta como vem o filé à Oswaldo Aranha, o garçom vegetariano não hesita: “Ele é servido, invariavelmente, morto”.

A cada semana, Gregório Duvivier assume uma nova voz. Sua inventividade e seu condão de se colocar no lugar do outro são inesgotáveis, e esse dom camaleônico vai muito além da criação de personagens.
A cada semana, um novo gênero. Um conto. Um glossário. Um artigo de opinião  panfletário. Uma memória afetiva da infância. Um ensaio crítico sobre uma obra literária.
A cada semana, um novo tom: do humor escrachado ao lirismo, da ironia à asserção, do intimismo à universalidade.
Enquanto se exercita, incansável como ator, poeta, cronista e roteirista, Duvivier enriquece sua produção literária com todos esses influxos, criando uma receita muito própria que tem como principais ingredientes a coragem, a originalidade e o afeto.
Nessa farofa em que convivem Ritalina, o Candy Crash, Jesus Cristo e as Tartarugas Ninja, o leitor é convidado a apurar sua percepção e flexibilidade, para ter acesso, ao final, a esse mosaico pujante que recria a experiência contemporânea".

(reprodução do texto de orelha do livro)

Lançamento: Sete Anos - Fernanda Torres

O segundo livro de Fernanda Torres foi lançado pela Companhia das Letras e traz crônicas escritas pela atriz e publicadas na Folha de S.Paulo, na Veja Rio e na revista piauí.

O texto de orelha do livro é de Antonio Prata, que nos faz ficar com vontade de ler o livro hoje mesmo:



"Se o mundo fosse justo, Fernanda Torres escreveria mal – e não haveria nada de errado nisso. Uma das maiores atrizes brasileiras, bonita, bem casada, filha de Fernando Torres e Fernanda Montenegro, mãe de dois filhos – “e magra”, lembra minha mulher -, receberíamos seus textos como quem vê Bill Clinton tocar saxofone, Chico Buarque jogar futebol, Paul McCartney expor uma de suas telas: eles são bom em outras áreas, deixem que se divirtam à toa, vai...
Acontece que Deus foi bem pouco equânime aos aspergir talentos sobre esta pobre humanidade: enquanto a maioria de nós se esforça para fazer, mal e mal, uma coisa só, Fernanda Torres vem mostrando como escritora o mesmo talento que a consagrou como atriz. Se fosse acometida por um “stage fright”, o pânico de entrar em cena que abordou em sua primeira matéria para a revita Piauí, poderia dar a costas à ribalta e viver da pena Viver bem, aliás: seu romance de estréia, Fim (2013), foi elogiado pela crítica, vendeu mais de 100 mil exemplares e por várias semanas figurou como único representante tupiniquim nas listas de best-sellers do país.
Seta anos, seu segundo livro, traz uma seleção de colunas escritas para a Veja Rio e a Folha de S.Paulo, além de matérias e perfis publicados na Piauí. Os diferentes registros poderiam resultar numa obra heteróclita, mas quer fale da filmagens de Kuarup, do julgamento do Mensalão ou das contribuições do aspargo para a sexualidade humana, a voz de Fernanda Torres se sobressai, garantindo a coesão do volume.
Trata-se de uma voz muito particular. Do jornalismo, ela colheu as maiores virtudes – descrição objetiva, frases curtas e diretas, economia de meios -, mas sem descambar para a secura ou se esconder atrás do cinismo, como tantos que precisam emitir opiniões e não querem correr o risco de errar e/ou se expor. Fernanda se expõe. Talvez por não temer o palco, por ser da trupe de Dionísio, sob a escrita apolínea vai deixando aflorar sua visão de mundo, seus medos e contradições, numa rara mistura que nos dá um conjunto de ensaios curtos cheios de insights sobre o Brasil das últimas décadas e, ao mesmo tempo, um conjunto de crônicas sobre esta mulher incrível que, fosse o mundo justo, escreveria tão bem quanto Pelé atua.

Acontece que o mundo não é justo – neste caso: ainda bem." Antonio Prata.

12 de nov de 2014

Resenha: Felizes para sempre - Quarteto de noivas 4


Título: Felizes para Sempre
Autora: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Ano: 2014
Pág.: 304
ISBN: 978-85-8041-342-7

SINOPSE:
Parker Brown tem praticamente tudo o que uma mulher sonha: uma casa maravilhosa, três grandes amigas em quem pode confiar de olhos fechados, uma carreira bem-sucedida, cintura fina e pernas torneadas, além de um closet do tamanho de um apartamento, onde todas as suas blusas são meticulosamente organizadas por tom e cada sapato tem seu nicho.

Parker mantém uma planilha em que controla o lugar exato de todas as peças no seu guarda-roupa. E essa sua mania de organização se reflete na sua vida pessoal e no trabalho. A moça conhece os gostos de suas amigas melhor do que elas mesmas e cuida sozinha de toda a administração da Votos - a melhor empresa de casamentos do estado.

Então o que essa mulher que sempre quer tudo devidamente previsto e ordenado viu no mecânico que presta serviços para sua empresa? Parker e Malcolm não podiam ser mais diferentes: ela com seus sapatos italianos e ele com botas de motoqueiro surradas; ela tomando champanhe e ele, cerveja; ela tocando piano e ele ouvindo rock no último volume.

Mas será que eles não têm afinidade em tudo o que realmente importa? Os dois dão valor à família e aos amigos e fazem o que tem que ser feito (doa a quem doer), são generosos e compreensivos e, acima de tudo, sentem falta de um grande amor para completar suas vidas.
Juntos, talvez eles descubram que chegou a hora de serem felizes para sempre.

Chegou o tão esperado desfecho da série Quarteto de Noivas! Como já visto em Bem-Casados, a atração que Parker sente por Malcolm é forte e faz tremer as estruturas da tão organizada e programada moça!
O ambiente que a Votos está vivendo é propício para novos romances: falta pouco tempo para o casamento de Mac e Carter, Emma e Jack e Laurel e Del também já estão com data marcada. Parker está as voltas com a organização de tudo e aquele mecânico aparece a toda hora, fazendo ela perder o rumo.... além de lhe dar beijos ardentes sem o menor aviso. Sem que ela queira admitir, tem sentido solidão nos últimos tempos, falta dos pais e de um grande amor para compartilhar os momentos felizes como suas amigas estão vivenciando.

O casal formado nesse livro da série é o mais improvável de todos. Se Mac e Carter pareciam diferentes, imaginem esses dois! Embora totalmente diferentes, não há drama sobre isso. Nem a super evidente diferença social gera conflitos. Nessa questão, é tudo muito bem resolvido naturalmente. Não há riscos de estragar amizades como no caso de Emma e Jack e Laurel e Del. O drama é pessoal de Parker mesmo, que mesmo envolvida com Malcolm, não admite e dificulta as coisas.

Mais uma vez, somos tocados pela amizade e cumplicidade entre as quatro amigas, característica dessa série. Os homens estão cada vez mais envolvidos na rotina da Votos. E Malcolm.... é o máximo. Seu jeito de agir com Parker pode arrancar suspiros dos mais românticos. Mesmo quando ele é descrito com jeans rasgados e sujos de óleo, não perde seu charme. É o tipo do bom moço, gentil e educado, com uma cara de bad boy. Será que é isso que encanta Parker? Você vai ter que descobrir lendo.

Gostei da série como um todo, tenho personagens de que gosto mais e acharia incrível ver uma adaptação para cinema ou televisão. Afinal, um pouco de romance e finais felizes não fazem mal para ninguém! 


Se você ainda não conhece a série, navegue aqui:


           Álbum de casamento                     Mar de Rosas                              Bem-casados

Filme: A teoria de tudo

Com estréia prevista no Brasil para 22 de janeiro de 2015, o filme A Teoria de Tudo contará a história do genial físico Stephen Hawking.
O filme foi baseado no livro Travelling to Infinity: My Life with Stephen, de Jane Hawking e mostra o jovem acadêmico e suas descobertas científicas, o amor de Jane e os primeiros indícios da doença degenerativa que lhe tirou os movimentos e a fala.

O trailer está sensacional!

Para assistir, clique aqui.









10527311 720000101407627 5368284494219639104 n Confira a capa de A Teoria de Tudo, de Jane Hawking


O livro que inspirou o filme foi lançado pela Editora ÚNICA, selo da Gente Editora.







A Editora Intrínseca lançou em 2013 um livro sobre físico: a biografia "Minha breve história".

10 de nov de 2014

Tatuagens inspiradas em livros!







Olá pessoal, 
Vi uma matéria bem legal para os apaixonados por tatoo e livros no site http://www.buzzfeed.com/alannaokun/tattoos-inspired-by-books e achei interessante reproduzir algumas imagens para vocês. 

Gostou? então acessa o link acima e confira a matéria completa com mais ideias.






Veja  aqui os créditos das imagens.

28 de out de 2014

Resenha: Para minha assistente

Título: Para minha assistente.
Autor: Lydia Whitlock
Editora: Planeta
Ano: 2014
ISBN: 978-85-422-431-5

SINOPSE
"Olá minha querida futura assistente,
Nessas páginas está tudo aquilo que você precisa saber para o dia (não tão distante) em que serei poderosa e rica o suficiente para contratá-la.
Diferente da maioria dos chefes que você terá o azar de encontrar, eu prometo lembrar que o seu diploma deve ser usado para tarefas importantes, e não para memorizar as minhas dietas loucas ou passar dIas marcando e desmarcando reuniões para satisfazer a minha vontade.
E, em segredo, vou confessar que, apesar de ser sua chefe, eu ainda serei capaz de dizer "obrigada", de fazer uma ligação sem a sua ajuda e de pesquisar coisas no Google sozinha.
Hoje eu ainda sou como você. Sentada na minha mesa minúscula contando os minutos para o fim do expediente de trabalho.
Mas, quando você for minha assistente, as coisas serão diferentes. Sério mesmo. Não, de verdade! Eu prometo.
E claro, se um dia o trabalho afetar a minha sanidade mental, você tem a permissão de jogar esse livro na minha cara. Logo depois de me trazer um café puro.
Sua futura chefe."

Olá queridos leitores da estante! Hoje a resenha é de um livro que acabou de chegar nas livrarias... lançamento mesmo.
Uma coisa muito legal desse livro é que a preparação (processo de editoração que vem logo depois da tradução) foi feita por... mim! Sim sim, esse foi o meu primeiro trabalho freelancer com texto e o livro é muito, muito legal.

Não é em formato de narrativa, mas sim como um guia para os assistentes/estagiários desse mundo. Qualquer um que já passou por isso, sabe que não é nada fácil lidar com os pedidos (loucos, insanos e sem sentido) do chefe
.
A autora, Lydia Whitlock, passou por muitas situações complicadas quando era assistente, aí ela resolveu criar o blog To My Assistant e o site se tornou um super sucesso! (Segue aqui para quem quiser conhecer: http://tomyassistant.com/ )
No livro, ela cria diversas situações super engraçadas e absurdas que os chefes fazem os assistentes passarem.
Logicamente tem situações que você não imagina que é possível, mas bom.. nunca se sabe! Tem louco pra tudo nesse mundo.
É um livro de humor muito bem bolado e, na minha opinião, um ótimo presente para chefes ou assistentes.

Trechos do livro:

Lista de tarefas (o momento errado para fazer)
Não vou enviar lhe enviar quinze e-mails no domingo à noite, cada um contendo uma tarefa individual que eu precisarei fazer ao longo da semana, só porque não quero esquecê-las e sou dispersa demais para me dar ao trabalho compilá-las em um único e-mail.

Como destruir a sua embreagem (em apenas uma semana!)
Quando descubro que o seu carro tem câmbio manual, não vou insistir para você ensinar meu filho adolescente a dirigir.

Bom, vale a pena! Achei super engraçado e faz qualquer um se encaixar no personagem. Espero que vocês curtam <3