16 de jan de 2015

Férias!



De 17 de janeiro a 01 de fevereiro você não verá nenhuma nova postagem aqui! Mas não pense que os abandonamos, não! É só um curto período de descanso... logo, logo estaremos de volta com novas resenhas, dicas de leituras e tudo mais que você curte ver aqui na Estante da Ana!

Abraços.

Resenha: Operação Portuga - Cinco homens e um recorde a ser batido

Título: Operação Portuga - Cinco homens e um recorde a ser batido
Autor: Sergio Xavier Filho
Editora: Arquipélago
Ano: 2010
Pág.: 176
ISBN: 978-85-60171-13-2

SINOPSE: 
Este não é um livro sobre corrida, embora se passe entre treinos e competições. É sobre gente. Na verdade, um tipo muito especial de gente. O esporte é o pano de fundo, mas o que está em jogo é muito mais do que isso. São histórias de competição, superação e camaradagem.
Em outubro de 2006, o empresário Amílcar Lopes Júnior, o Portuga, realizou um feito memorável ao completar a Maratona de Chicago em 2 horas 43 minutos e 50 segundos. A marca, extraordinária para um amador, fez dele uma espécie de lenda no circuito de corredores de rua de São Paulo. Desde aquele momento, Portuga se tornou o homem a ser batido. Marcelo Apovian (o Lelo), José Augusto Urquiza (o Guto) e Tomás Awad sao os mais fortes candidatos a derrotar Amílcar no que ficou conhecido como o "Desafio do Portuga".
Os três desafiantes treinam forte. Para alcançar o objetivo, eles, que são executivos ocupados, driblam suas agendas apertadas, desviam de compromissos sociais e deixam de lado muitas horas de descanso ou de convívio familiar. Também deixam para trás, como no caso de Lelo, as sequelas de um acidente que quase lhe custou a perna. A marca mítica não sai da cabeça deles: o Portuga precisa ser derrubado.
O circuito da maiores maratonas do mundo - Amsterdã, Berlim, Boston, Chicago, Londres, Nova York e Paris - é o cenário ideal para a busca pelo recorde. Lelo, Guto e Tomás correm o mundo, literalmente, para derrubar o Portuga. A esse grupo junta-se mais tarde Felipe Wright e sua obsessão em terminar uma maratona abaixo de 3 horas. E ele chegou lá, com a ajuda de um amigo capaz de um gesto de pura e comovedora nobreza.

Esse livro foi um presente de Natal da minha filha Juliana. Como no último ano eu me apaixonei pela corrida de rua, a Ju o achou mais do que adequado para mim. E foi! Mas engana-se quem pensa que o livro seja indicado somente para quem gosta ou pratica o esporte. Acima de tudo, o livro, como já nos prepara o texto de orelha, é uma história sobre gente, pessoas. No caso, corredores amadores de maratona. 

A primeira coisa a se entender dessa universo tratado no livro é que existem dois tipos de corredores de maratonas: os profissionais, aqueles que tem como única atividade o esporte, seu trabalho é treinar e vencer (e esses completam uma maratona em pouco mais de 2h) e os amadores, pessoas comum, das mais variadas profissões que praticam o esporte em suas horas vagas. Poucos amadores conseguem percorrer os 42.195 metros de uma maratona em menos de 3 horas. E o Portuga conseguiu esse feito com 43 anos, cravando 2:43:50!

Os protagonistas dessa história fazem parte desse grupo de amadores, que treinam regularmente sob as orientações da MPR, uma assessoria esportiva paulistana comandada por Marcos Paulo Reis.
Marcos Paulo é quem, cansado da conversa do Portuga que vive se gabando do seu tempo, decide criar uma brincadeira que acabou sendo levada muito a sério pelos seus alunos. Três deles aceitam o desafio de bater o Portuga e iniciam sua saga de treinamentos.

Mas Operação Portuga, na verdade, se utiliza desse universo para contar a história desses corredores. Lelo, o desafiante com mais chances de sucesso, é um esportista que já competiu pelo Brasil em Olimpíadas no esqui! Sua história de superação é inspiradora: ele sofreu um grave acidente esquiando que quase o fez perder a perna. Imagine só, hoje ele corre muito! Guto é o protagonista do feito mais emocionante narrado no livro, algo que só um verdadeiro amigo é capaz de fazer. E Tomás com seu jeito quieto vai aos poucos conquistando marcas incríveis. Não fazendo parte do trio de desafiantes, mas treinando com a mesma dedicação para um objetivo pessoal, tem Felipe com sua história que você quando ler vai acabar se lembrando... Infelizmente, se tornou conhecida pela tragédia. 

O livro foi escrito pelo jornalista Sergio Xavier Filho que acompanhou todo o Desafio do Portuga e viu ali algo mais a ser contado! E valeu a pena ouvi-lo!

Recomendo essa leitura para todos os que gostam de histórias emocionantes e motivadoras independente de gostar ou não de calçar o tênis e sair por ai correndo! No meu caso, eu fiquei bem mais motivada e animada para ampliar meus singelos 5km e buscar o próximo desafio, os 10km. 

Um registro a parte para a edição do livro feita pela Arquipélago Editorial: a capa é sensacional! O fundo tem uma textura que imita o asfalto! 




8 de jan de 2015

Resenha: Cem melhores crônicas (que, na verdade, são 129)

Título: Cem melhores crônicas (que, na verdade, são 129)
Autor: Mario Prata
Editora: Planeta
Ano: 2011
Páginas: 376
ISBN: 978-85-7665-326-4


O Mario Prata é um dos melhores prospectadores de graça do país. Em ver e transmitir o que o brasileiro (para ficar só um exemplo especialmente cômico da espécie) tem de engraçada ele é inigualável. Mais do que ninguém, sabe chegar no humor que ninguém tinha notado, diferenciar o urânio da areia e fazer a bomba na hora. Você que fala português já tinha se dado conta de como a nossa língua - sem falar na de Portugal -  é gozada, ou gozável, e de como estamos constantemente fazendo humor sem saber ao usá-la? nada mais corriqueiro e banal do que a língua que falamos, e Mario Prata é mestre em nos mostras as preciosidades com que lidamos todos os dias, distraídos. 

Luis Fernando Veríssimo.


Encerrei meu 2014 com um livro que estava me esperando na estante por vários meses. Finalmente consegui me dedicar ao Cem melhores crônicas, de Mario Prata.

Muitos já devem conhecer o autor pelas suas crônicas em jornais ou até na internet. Conheci ele como autor pelas suas colunas e textos que rodam o facebook até hoje haha, mas esse foi só o segundo livro dos muitos já publicados que ele tem.

O primeiro que li foi James Lins, um playboy que não deu certo e simplesmente ADOREI (pensando nisso, preciso fazer uma resenha sobre ele) e aí resolvi ter vários livros do autor que ainda estão me esperando... esse foi o primeiro escolhido.
Gosto muito de livro de crônicas ou contos, acho muito legal poder ler vários assuntos em um livro só, e isso só faz com que a gente leia o livro mais rápido ainda.

Mario Prata divide suas crônicas em alguns capítulos, um para as mulheres, outro para as crianças, para palavras, um sobre o Brasil e assim vai. São 129 crônicas divididas em 13 capítulos para que elas fiquem mais organizadas e sigam uma linearidade.
Fernando Veríssimo descreve o autor muito bem na quarta capa... Mario Prata simplesmente consegue achar o humor em coisas tão cotidianas  que nunca tínhamos pensando e, ao lermos algo tão comum numa narrativa engraçada e coloquial, é impossível não soltar algumas risadas.

Engraçado, inteligente, político, mulherengo, adulto, velho, criança e outros perfis de autor são identificados em cada crônica.... A verdade é que parece que nem todas são escritas pela mesma pessoa por serem perfis diferentes, mas sempre com a mesma escrita.
Não gostei de tooooodas as crônicas (são 129!), mas a maioria se não é engraçada, é extremamente inteligente.

Acho que vale muito a leitura, para homens e mulheres! Não sei se jovens se interessariam tanto mas, para adultos, é uma ótima indicação.

7 de jan de 2015

Resenha: O Bicho-da-Seda



Título: O Bicho-da-Seda

Autor: Robert Galbraith
Editora: Rocco
Ano: 2014
Pág: 462
ISBN: 978-85-325-2949-7

SINOPSE:
Quando o romancista Owen Quine desaparece, sua esposa apela ao detetive particular Cormoran Strike. No início, ela pensa apenas que o marido se afastou por alguns dias – porque ele já fez isso antes – e quer que Strike o encontre e o traga para casa.
Mas, à medida que Strike investiga, fica claro que há mais no desaparecimento de Quine do que percebe a mulher. O romancista acabara de concluir um manuscrito retratando de forma venenosa quase todos que conhece. Se o romance for publicado, destruirá a vida de muitos. Muita gente, portanto, pode querer silenciá-lo.
Quando Quine é encontrado brutalmente assassinado em circunstâncias bizarras, começa uma corrida contra o tempo para entender a motivação de um assassino impiedoso, um assassino diferente de qualquer outro que Strike já viu.
Romance policial que se lê compulsivamente, com guinadas a cada virada de página, O bicho-da-seda é o segundo de Roberto Galbraith numa série muito aclamada apresentando Cormoran Strike e sua decidida jovem assistente Robin Ellacott.

Eu adorei o Chamado do Cuco, o primeiro livro escrito pela J.K. Rowling sob o pseudônimo Robert Galbraith. Claro que quando foi lançado O bicho-da-seda eu não poderia deixar de ler.
Cormoran Strike é uma figura. Veterano de guerra, perdeu uma perna em um explosão e hoje é detetive particular. Vivia com trabalhos medíocres até desvendar o assassinato na modelo Lula Landry no primeiro livro. Após esse episódio que o levou aos jornais e a fama repentina, ele teve um considerável aumento no número de clientes. Nada suficiente, porém, para ele melhorar de vida. Sua assistente Robin permanece trabalhando com ele, mesmo contrariando seu noivo Matthew, que não gosta nem um pouco do chefe dela. 

Em meio a investigações de adultério, Strike é procurado para encontrar um romancista desaparecido. Uma figura excêntrica que, segundo a esposa, já desapareceu outras vezes. Mesmo contrariando o bom senso, Strike aceita o caso pelo o qual nem receba qualquer pagamento e inicia sua investigação até que o corpo do escritor é encontrado.
A partir dai, vamos conhecendo os personagens suspeitos do crime e seus envolvimentos antigos e recentes com o escritor assassinato. Com a valiosa ajuda de Robin, Strike vai aprofundando na investigação até o desfecho final. Strike é inteligente e percebe detalhes que outras pessoas deixam passar. Alguns desses detalhes ou dos pensamentos do detetive não são apresentados ao leitor, dificultando que cheguemos a mesma conclusão que ele.

A trama é bem escrita e fundamentada, mas a narrativa, por diversas vezes, ficou maçante. A riqueza de detalhes de cada restaurante ou casa que Strike entrava, das ruas da cidade e das pessoas me cansaram um pouco, quando deveriam somente me ambientar nas cenas. Mas confesso que eu fico entediada facilmente com muitas descrições e detalhamentos. Não é uma falha do livro, e sim uma característica minha como leitora.


O Bicho-da-Seda é uma excelente história que não deixa a dever em nada para O Chamado do Cuco. Mais uma vez, Robert (ou J.K., como preferir) desenvolveu uma trama que prende o leitor e o faz tentar desvendar o mistério junto com o protagonista. E mais do que isso, esperar pela próxima aventura do polêmico detetive!


Conheça o primeiro livro de Robert Galbraith: O chamado do cuco




5 de jan de 2015

Ganhador da promoção Indica Ai!


O leitor da Estante Mauricio Luis, da cidade de Ribeirão Preto, foi o ganhador da promoção Indica Ai, que o presentou com uma edição autografada de Sete Anos, da Fernanda Torres.


Olha ele ai, feliz ao receber seu prêmio!

Obrigada Mauricio pela participação e envio das fotos!

Resenha: Mentirosos




Título: Mentirosos
Autora: E. Lockhart
Editora: Seguinte
Ano: 2014
Páginas: 272
ISBN: 978-85-65765-48-0

Somos Sinclair. Ninguém é carente. Ninguém erra. Vivemos, pelo menos durante o verão, em uma ilha particular. Talvez isso seja tudo o que você precisa saber a nosso respeito.

Mentirosos é suspense moderno e sofisticado, impossível de largar até que todos os seus mistérios sejam desvendados. Ao mesmo tempo, a prosa lírica e o estilo seco e denso farão você mergulhar de cabeça no mundo dos Sinclair e nas crescentes angústias de Cadence - para então vir à tona completamente impactado.

"Emocionante, bonito e devastadoramente inteligente, Mentirosos é absolutamente inesquecível."
John Green

Meu primeiro livro de 2015 conseguiu entrar na lista dos melhores livros que já li na vida. Se eu pudesse te dar um conselho agora seria para parar de ler essa resenha, correr até uma livraria, comprar esse livro e separar um dia para ele, porque você não vai conseguir parar até terminar.
Fazia muito tempo que eu não me prendia tanto à um livro, aquele tipo de leitura que te faz dormir 3 horas depois do que devia e não fazer mais nada durante o dia até chegar na última página. Depois que terminei, precisei conversar com as pessoas que tinham me indicado, não consegui parar de pensar nele por mais um dia inteiro e fui procurar outros livros da autora.
O livro conta a história da família Sinclair, uma família tradicional, rica e em decadência e é narrado no presente por Cadence Sinclair, a neta primogênita e principal herdeira.
Ela, seus dois primos mais velhos e um amigo formam o grupo os Mentirosos e são inseparáveis desde pequenos, mas apenas se vêem nos verões, quando toda a família vai para a ilha particular dos Sinclair.
Enquanto as mães brigam pela herança, os mais jovens só querem aproveitar o verão e a sua amizade única. Mas, no verão dos quinze, Cadence sofre um acidente e não consegue se lembrar de nada daqueles meses que passou na ilha e, dois anos depois, ela volta no verão dos dezessete para encontrar os Mentirosos e tentar descobrir o que ela deve, mas não pode se lembrar.
Mentirosos trata tantos assuntos diferentes e todos de modo impecável. E. Lockhart misturou como ninguém e com muito êxito suspense, drama, amizade, paixão, amor e as relações familiares sustentadas por uma tradição.
Você se sente como Cadence, sente toda a confusão dela e não consegue parar de ler até que desvende o suspense. Você consegue reunir todas as pistas juntamente com ela e compartilhar dos mesmo sentimentos e dúvidas.
Resumindo: um livro simplesmente sensacional, triste, arrebatador, com personagens únicos, uma prosa maravilhosa, um enredo emocionante e com um final de te deixar com o queixo caído.


A editora Seguinte criou um site sobre o livro, para que as pessoas pudessem compartilhar suas emoções após terminar de ler... para entrar no fórum é preciso um cadastro e é melhor já ter lido o livro para não ver algum spoiler, mas você pode acessar para conhecer um pouco mais, ver outras opiniões e resenhas e ler um trecho da história.