8 de jan de 2015

Resenha: Cem melhores crônicas (que, na verdade, são 129)

Título: Cem melhores crônicas (que, na verdade, são 129)
Autor: Mario Prata
Editora: Planeta
Ano: 2011
Páginas: 376
ISBN: 978-85-7665-326-4


O Mario Prata é um dos melhores prospectadores de graça do país. Em ver e transmitir o que o brasileiro (para ficar só um exemplo especialmente cômico da espécie) tem de engraçada ele é inigualável. Mais do que ninguém, sabe chegar no humor que ninguém tinha notado, diferenciar o urânio da areia e fazer a bomba na hora. Você que fala português já tinha se dado conta de como a nossa língua - sem falar na de Portugal -  é gozada, ou gozável, e de como estamos constantemente fazendo humor sem saber ao usá-la? nada mais corriqueiro e banal do que a língua que falamos, e Mario Prata é mestre em nos mostras as preciosidades com que lidamos todos os dias, distraídos. 

Luis Fernando Veríssimo.


Encerrei meu 2014 com um livro que estava me esperando na estante por vários meses. Finalmente consegui me dedicar ao Cem melhores crônicas, de Mario Prata.

Muitos já devem conhecer o autor pelas suas crônicas em jornais ou até na internet. Conheci ele como autor pelas suas colunas e textos que rodam o facebook até hoje haha, mas esse foi só o segundo livro dos muitos já publicados que ele tem.

O primeiro que li foi James Lins, um playboy que não deu certo e simplesmente ADOREI (pensando nisso, preciso fazer uma resenha sobre ele) e aí resolvi ter vários livros do autor que ainda estão me esperando... esse foi o primeiro escolhido.
Gosto muito de livro de crônicas ou contos, acho muito legal poder ler vários assuntos em um livro só, e isso só faz com que a gente leia o livro mais rápido ainda.

Mario Prata divide suas crônicas em alguns capítulos, um para as mulheres, outro para as crianças, para palavras, um sobre o Brasil e assim vai. São 129 crônicas divididas em 13 capítulos para que elas fiquem mais organizadas e sigam uma linearidade.
Fernando Veríssimo descreve o autor muito bem na quarta capa... Mario Prata simplesmente consegue achar o humor em coisas tão cotidianas  que nunca tínhamos pensando e, ao lermos algo tão comum numa narrativa engraçada e coloquial, é impossível não soltar algumas risadas.

Engraçado, inteligente, político, mulherengo, adulto, velho, criança e outros perfis de autor são identificados em cada crônica.... A verdade é que parece que nem todas são escritas pela mesma pessoa por serem perfis diferentes, mas sempre com a mesma escrita.
Não gostei de tooooodas as crônicas (são 129!), mas a maioria se não é engraçada, é extremamente inteligente.

Acho que vale muito a leitura, para homens e mulheres! Não sei se jovens se interessariam tanto mas, para adultos, é uma ótima indicação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário