19 de fev de 2018

Resenha: Outlander - A viajante do tempo - Livro 1

Outlander - A viajante do tempo - Livro 1
Diana Galbaldon
Arqueiro, 2016

SINOPSE


Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.


Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?

E como começar a resenha do seu novo livro favorito? Ai, não é uma tarefa fácil! Que tal contar como eu descobri essa maravilha? Conheci a história pela série de TV que foi baseada nos livros de Diana Gabaldon, por indicação de uma amiga. Totalmente apaixonada pela série, fui atrás do livro 1... um volume de nada menos que 797 páginas!

O livro já foi publicado por outras editoras, mas atualmente a responsabilidade está com a Editora Arqueiro, que recentemente relançou os dois primeiros volumes com a capa de série, gerando descontamento entre os leitores. A capa da série é linda e trás os maravilhosos protagonistas, mas para quem curte fazer a coleção, não é nada legal ter as capas modificadas no meio do caminho.

Como eu já conhecia a história por ter assistido a primeira temporada da série na Netlfix, não imaginei que gostaria tanto da leitura. A série foi bem fiel ao livro, uma excelente adaptação, mas o livro é sempre o livro, não é mesmo? Claro que eu já tinha a imagem dos personagens na minha mente e isso ajudou a me familiarizar com eles e também com os cenários descritos, mas a história é  sensacional por ela só. Um misto de romance com guerras, conflitos, violência e os costumes da época. 

O personagem Jamie Fraser é apaixonante não somente pela imagem que ficou da TV (e que imagem!!!) mas pela sua personalidade e carisma. Agora posso afirmar que o ator Sam Heughan interpretou fielmente o escocês das páginas criadas pela autora. E Catriona Balfe é perfeita como Claire. 

O ator Tobias Menzies como Frank e seu
antepassado Black Jack Randall
Há um terceiro personagem muito forte, Jack Randall, um oficial inglês sádico que tem como foco de sua vida o escocês Jamie. Randall é um ancestral do marido que Claire deixou em 1945, Frank,  e sua semelhança com o descendente é uma das coisas que a desestrutura em sua aventura na Escócia. Randall é detestável, enquanto que Frank é agradável e atencioso. 


Quando Claire atravessa o tempo e vai parar na violenta Escócia de 1745, seu primeiro encontro é com Randall, mas logo ela é resgatada pelos escoceses do Clã MacKenzie, do qual o jovem Jamie faz parte. Levada ao castelo do chefe do clã, Claire tem que enfrentar além das diversidades da época, a desconfiança de ser uma espiã inglesa, uma vez que tem que manter em segredo sua origem. Sua ligação com o Jamie é gradativa e suave, até que eles se unem em um amor intenso que não pode ser quebrado nem pelo futuro de Claire. As passagens entre os dois são de uma delicadeza linda e sensual e é um contraponto perfeito para a violência que os circula o tempo todo e os perigos que Claire se envolve a todo instante. 

A história é repleta de personagens interessantes, como os tios de Jamie, Dougal e Colum MacKenzie, a "bruxa", Geillis Ducan e a irmã de Jamie, Jenny. São personagens bem construídos, com personalidades marcantes e relevantes na história como um todo. 

Toda a série Outlander criada por Diana Gabaldon contempla até agora oito livros publicados. No Brasil a partir do livro 3, eles foram divididos em duas partes. 






Imagem relacionadaNa Netflix podemos encontrar as duas primeiras temporadas disponíveis (cada temporada conta a história de um livro da série). A terceira temporada já foi exibida nos EUA e a Fox Premium a exibiu aqui no Brasil.



Outlander é um sucesso na TV e conquistou seu espaço no museu que os Estúdios Sony mantem em Los Angeles com suas produções de destaque e que faz parte do tour para visitantes. Ali você pode ver além de roupas, alguns objetos usados em cena.






10 de fev de 2018

Resenha: Magia do Sangue - Livro três da trilogia Primos O'Dwyer


Magia do Sangue
Livro três da trilogia Primos O'Dwyer
Nora Roberts
2015, Arqueiro

SINOPSE:
Há muitos anos, Branna O’Dwyer entregou seu amor a Finbar Burke. No entanto, o romance durou pouco. Uma maldição ligada ao sangue de suas famílias os proibiu de ficar juntos. 

Branna tentou preencher esse vazio com amigos e familiares, mas sabe que, sem Fin, sua vida nunca estará completa. Ele, por sua vez, passou os últimos doze anos viajando pelo mundo, focado exclusivamente no trabalho. 

Atormentados pela forte atração que nem a distância pôde aplacar, nenhum dos dois acha que um dia se entregará de novo ao amor. 

Entretanto, em meio às sombras que ameaçam destruir tudo o que eles consideram mais precioso, esse relacionamento sem futuro pode ser também a última esperança que lhes resta.

E com Magia do Sangue, Nora Roberts encerra a trilogia que além de amor e romance, fala de amizade, comprometimento, força, coragem e claro, magia! 

Mais fortalecidos e poderosos, "os três", como são chamados Branna, Connor e Iona, ao lado de Fin pesquisam uma nova maneira de atacar e derrotar de vez Cahban. Os laços com Meara e Boyle estão mais fortes, tornando o círculo mágico que os une muito poderoso. Mas Cahban também está ficando cada dia mais forte e agressivo. 

E finalmente podemos ver o amor entre Branna e Finbar vencendo o medo e a maldição. Fin é meu personagem favorito e nem sei bem explicar o motivo. Desde o começo sua personalidade e seu jeito carinhoso de ser me conquistou. Sua dor por não poder viver o amor com Branna é de fazer o leitor lamentar junto com ele. Mas nesse último volume da trilogia, Branna abre seu coração e vence o medo... e foi até mais rápido do que eu imaginei!

Fin chega ao limite, arriscando sua vida para derrotar seu antepassado que lhe deixou como herança uma marca no ombro, a marca da maldição de Sorcha. 

Nesse último volume, a autora ressaltou ainda mais o poder da união e da amizade. E como não poderia deixar de ser, o poder do amor. 

A trilogia é uma leitura diferente do que os leitores de Nora Roberts estão acostumados por envolver o romance em um cenário mágico e desafiador. 

2 de fev de 2018

Resenha: Feitiço da Sombra - Livro dois da trilogia Primos O'Dwyer

Feitiço da Sombra 
Livro dois da trilogia Primos O'Dwyer
Nora Roberts
2015, Arqueiro

SINOPSE:

Com as lendas e tradições da Irlanda correndo em seu sangue, Connor O’Dwyer se orgulha de chamar o Condado de Mayo de seu lar. É lá que Branna, sua irmã, mora e trabalha e onde Iona, sua prima, encontrou o verdadeiro amor. Foi nessa terra que seus parentes e amigos formaram um círculo de proteção que nunca poderá ser rompido...

Até que um beijo põe em risco a segurança de todos.

Depois de um breve encontro com a morte, Connor e a melhor amiga de sua irmã se entregam um ao outro. Muitas mulheres passaram pela cama de Connor, mas nenhuma havia descoberto o caminho para seu coração. Meara tem olhos escuros, pele morena – herança do lado cigano de sua família – e corpo de deusa.

Os rumos dela e os de Connor se cruzam diariamente. Ele leva turistas em caminhadas para observar falcões. Ela os guia em cavalgadas pelo campo. Eles se dão bem desde a infância e, depois do tórrido encontro, o rapaz tem esperança de que esse relacionamento evolua.

Para frustração dele, no entanto, Meara se contenta apenas com o prazer do momento, temendo se perder – e perder a amizade dele.
Essa mudança em sua relação pode abalar o círculo e permitir que uma perigosa ameaça ressurja aos poucos, como uma névoa. Para detê-la, Connor precisará novamente da família e dos amigos para despertar a força e a fúria que correm em seu sangue. Quem sabe pela última vez.

Esse livro dois da trilogia Primos O’Dwyer não achei tão bom quanto o primeiro. Nele encontramos Cabhan enfraquecido pelo confronto com os três e com seu interesse voltado para Meara. O foco desse livro é o romance entre Connor e Meara, aliás um previsível romance, sem surpresas. Não sei se era eu que estava ansiosa para ver o romance entre Branna e meu personagem favorito, Fin que acabei não me envolvendo muito com a história de Connor e Meara. E também por ser uma trilogia, você já imagina que Cabhan será vencido somente no final da história.. Isso deixa o volume “do meio” um pouco morno, sem as descobertas do primeiro e o desfecho do último.

Em Feitiço da Sombra é apresentada a história familiar de Meara e a aceitação de seus sentimentos pelo amigo de infância, Connor. Nesse ponto da história, Branna passa aceitar um pouco mais a presença e ajuda de Finbar, o herdeiro de Cabhan e junto com seu irmão e sua prima, trabalha novos feitiços e formas de derrotar Cabhan.


E todas as passagens que envolvem os “primeiros três” são interessante e nesse volume Connor e Meara passam por experiências envolvendo os primos do passado, principalmente Eamon. Feitiço da Sombra é apenas a leitura necessária para se chegar ao desfecho esperado, Magia do Sangue! Esse sim, promete!