7 de out de 2018

Resenha: Queria ter ficado mais

Foto: Luis Gomes
extraída do site http://www.lote42.com.br/queriaterficadomais/livro
Queria ter ficado mais
Organização: Cecilia Arbolave
Ilustração: Eva Uviedo
2015, Lote 42

Queria ter ficado mais reúne 12 histórias escritas por mulheres em diferentes cidades do mundo - da vizinha Buenos Aires à longínqua Tóquio. São viagens que vêm dentro de envelopes, como cartas enviadas de diversosj potnos do globo para um único destinatário: você. 
Textos de: Barbara Hecker, Bruna Tiussu, Cecília Araújo, Cecília Arbolave, Clara Averbuck, Clara Vanali, Florencia Escudero, Isis Gabriel, Ligia Braslauskas, Lívia Aguiar, Luciana Breda e Olívia Fraga.

Sei que falo isso de quase todos os livros que leio, mas Queria ter ficado mais  estava na minha lista de desejo há muito tempo! Fiquei atraída por ele muito antes de saber sobre o que ele fala; o que foi paixão à primeira vista foi o projeto gráfico.
Esse “livro” é formado por doze cartas. Cada uma tem o seu envelope ilustrado, cada uma é de uma autora, cada uma se passa em um lugar do mundo e cada uma mexe com o leitor de alguma maneira.

Foto: Luis Gomes
extraída do site http://www.lote42.com.br/queriaterficadomais/livro
As cartas – de, aproximadamente, 10 páginas cada – contam experiências de viagens marcantes das autores escolhidas. Durante a leitura, viajei pelo mundo inteiro, de Buenos Aires a Tóquio, em diferentes anos, épocas e através de visões distintas do mundo.
Esse último ponto é o mais curioso, com certeza. Como cada carta é de uma autora, em um local ou uma situação única, me deixei imaginar como eu me sairia naquelas situações... desde encontros improváveis a aventuras inimagináveis. Inclusive fiquei pensando em escrever a minha própria carta de viagem e, depois de muito pensar, decidi que escreveria sobre Barcelona.

Foto: Luis Gomes
extraída do site http://www.lote42.com.br/queriaterficadomais/livro

Além de muito bem escritas e de transmitirem um sentimento verdadeiro, as cartas também despertam o nosso espírito aventureiro e a vontade de sair pelo mundo colecionando carimbos no passaporte, memórias e experiências.




Se não ficou convencido, vale conferir o site que a Lote42 criou, na época do lançamento, especialmente para o livro com várias informações e fotos incríveis para deixá-lo com mais vontade ainda de ler: http://www.lote42.com.br/queriaterficadomais
Queria ter ficado mais terá um espaço especial na estante... queria ter ficado mais tempo lendo...

18 de ago de 2018

Resenha: Amores ao sol


Amores ao sol
Lucão
Planeta, 2018

SINOPSE:

Logo no primeiro dia percorrendo o Caminho de Santiago, Luca esbarra com a tristeza de Rodrigo, um peregrino brasileiro que procura desesperadamente por Sol, um amor que nasceu e se perdeu durante a jornada.

Sem ter muito claro para si o motivo que o levou a Espanha, Luca mergulha no drama do conterrâneo e acaba por seperder ao viver um Caminho cheio de medos, dúvidas e encontros inesperados entre o passado e o presente.

Seria o amor o único caminho para se chegar a Santiago de Compostela?

Esse livro já me conquistou pela sinopse! Explico: tenho um interesse especial pelo Caminho de Santiago e suas histórias e quando vi que o cenário desse romance contemporâneo era o Caminho, não tive dúvidas e o coloquei no topo da minha lista de leitura.

Eu não conhecia o escritor, o Lucão e fui nas redes sociais saber um pouco mais dele e descobri um jovem poeta com publicações lindas e tocantes. Mais um motivo para eu iniciasse logo a leitura. 

Lucão explica que fez o Caminho de Santiago duas vezes, sendo que na primeira ele teve que interromper sua caminhada por conta de uma lesão. O livro nasceu das suas duas experiências pelo Caminho. O personagem principal é o Luca, um brasileiro que decide fazer 480 dos 800km do Caminho Francês meio sem saber o motivo. Chega na França dividido entre a empolgação do início da caminhada e a dúvida se fez uma boa escolha. Mas logo no primeiro dia ele conhece outro brasileiro, Rodrigo e sua história de um amor perdido durante a caminhada. Rodrigo agora está no Caminho para reencontrar Sol. 

E Luca começa sua caminhada, intrigado pela tristeza de Rodrigo e ansioso pelo o que está por vir. A história tem muitos encantos, mas nada se compara aos personagens que ele encontra pelo caminho. Peregrinos que conhece em uma parada, outros que o acompanham em um trecho e aqueles especiais que transformam a experiência de Luca durante a dura caminhada.

Nunca fiz o Caminho (quem sabe algum dia), mas a maneira como o autor retratou a solidariedade e companheirismo dos peregrinos e a atenção e carinho dos que trabalham nos albergues é justamente como eu imagino que seja. Em uma aventura como essa você se livra de orgulho e vaidade... você vive o presente de forma simples e aberta e se aproxima das pessoas.  Devem ser muitos os motivos que levam os peregrinos para o Caminho e as experiências são as mais diversas, mas acredito que todos chegam ao final transformados de alguma maneira. Luca segue pelo Caminho enfrentando dores e tentando descobrir qual era de verdade o caminho dele, qual seu real motivo para estar ali. Para chegar a resposta ele revisita dores e perdas de sua vida.

Cada capítulo é aberto com um pequeno verso. Coisas simples e tocantes assim:


"Numa vida bem vivida, cada segundo que passa é uma saudade que fica".

"Ame mais de uma vez ao dia. Ame como se o amor fosse um remédio para uma doença crônica. Ame como se você sentisse uma insuportável dor. E se preciso for, amor, amor, amor e amor".

"Tem beijo que parece acidente. Duas nuvens se chocam de frente".

"Às vezes, o nosso vazio só se preenche com um pouco mais de nós mesmos".

Eu já estive em Santiago de Compostela (cheguei lá de moto e não caminhando), mas presenciei a chegada de alguns peregrinos e é emocionante! Tem uma escultura próxima a central dos peregrinos que diz muito sobre quem se propõe a percorrer essas distãncias longas a pé. Ela se chama Pies de Peregrino e tem uma inscrição em cada uma das quatro faces com a seguinte frase:


"Camino recto, camino erguido, camino buscando un sentido. Camino porque tengo un objetivo, y no pararé hasta alcanzar mi destino".


Amores ao Sol é um livro lindo que eu indico! E indico também seguir o Lucão no instagram (@lucaoescritor) e conhecer sua poesia. Veja o que você encontra lá:


Extraído do instagram @lucaoescritor

No site da Editora Planeta você pode baixar um trecho de Amores ao Sol. É só clicar aqui.

17 de ago de 2018

25ª Bienal



O começo do segundo semestre foi bem agitado para os amantes de livros! Logo depois  da FLIP (você pode ler nosso post aqui), a Bienal do Livro já começou.

A cada dois anos a feira acontece em São Paulo, no Pavilhão de Exposições do Anhembi e, em 2018, ela começou no dia 3 de agosto e foi até o dia 12. Nos 10 dias de evento, mais de 660 mil pessoas foram visitar os lindos estandes, sentir o amor pela literatura e, claro, comprar livros!

Neste ano a programação oficial na Bienal estava muito agitada: debates, sessões de autógrafos, apresentações, encontros de leitores e muito mais em todos os dias. Além disso, as editoras também promoveram sessões de autógrafos muito animadas.



Realidade como inspiração
Eu assisti duas mesas no Salão de Ideias e ambas foram incríveis. A primeira, na terça-feira, chamada O feminismo e a literatura contou com a participação de Aryane Cararo, Duda Porto, Martha Batalha e Carola Saavedra. Já na quarta-feira, pude assistir Geovani Martins, Henrique Rodrigues e Carlos Eduardo Pereira falarem sobre Realidade como inspiração

Para mim, porém, existe algo melhor do que todas as atividades que ocorrem é lá: visitar todos os estandes, das editoras grandes às menores e outras diversas marcas que participam. Cada uma, a sua maneira e proporção, consegue levar algo diferente para a feira, mas igualmente especial.
Embora seja difícil, escolhemos os estandes que mais conquistaram o coração do público:
·      Companhia das Letrinhas: neste ano o Grupo Companhia das Letras fez um estande somente para o seu selo infantil e ficou sensacional!


·      Papel pólen: para quem não conhece, pólen é o papel dos sonhos para qualquer um que ame ler. O estande tinha vários cenários lindos para fotos, uma grande “rede de descanso” e uma parede de lambe-lambes.


·      Mauricio de Sousa Produções: como em outros anos, os criadores da Turma da Mônica montaram a fábrica de quadrinhos, no qual os leitores podem comprar um quadrinho personalizado com o seu personagem. É sempre divertido ver os livros serem impressos e montamos na hora!


·      Intrínseca: esse estande estava um verdadeiro cenário de fotos. Em um lado havia uma lousa para promover o livro O homem de giz; em outro um painel enorme do livro A sutil arte de ligar o f*da-se; e, por último, a grande atração: um maravilhoso túnel de livros que era a entrada do estande!



Outros estandes que montaram cenários para fotos também foram muito procurados pelos leitores, como foi o caso da Harper Collins que teve Newt e sua maleta de Animais Fantásticos e onde habitam.

Ai Bienal, você é sempre uma loucura, mas também transmite muito amor e alegria no coração. Até 2020!
Juliana

Nota da Ana Paula:
Acompanhei a Juliana e além do que ela já contou, tem um coisa que me deixou muito feliz na feira: a grande quantidade de crianças levadas por seus professores. Parabéns professores pela iniciativa! Não é nada fácil encarar um evento assim com crianças, em um local lotado. Quanto as crianças, eu não as vi só em um dia de passeio escolar e sim aproveitando o evento, entrando nos estandes e procurando livros que pudessem comprar (aqueles estandes de 5 e 10 reais fazem a festa da criançada kkk). Isso é muito legal. Chega até a nos dar um pouco mais de esperança no futuro! Ah se a maioria dos adultos tivessem a ideia do quão importante é incentivar a leitura desde pequeninos... Tudo seria tão diferente!