31 de jul de 2015

Resenha: Histórico infame de Frankie Landau-Banks




Depois de ler, pirar e indicar pra todo mundo o  livro Mentirosos, peguei pra ler o romance anterior da autora que foi trazido pro Brasil.

A história é sobre Frankie Landau-Banks, uma menina do segundo ano que estuda numa escola muito rica e tradicional. Frankie tem suas inseguranças, medos e dúvidas, que se tornam uma avalanche de emoções ao decorrer da obra.
Ela começa a namorar um dos principais garotos do colégio que esconde um segredo dela, um segredo que seu pai já escondia e que foi passado de geração em geração através dos alunos: a sociedade secreta dos bassets.
Não quero falar muito da história com medo de estragar algum mistério da leitura de vocês, mas é bom!

Não chega nem aos pés de ser tão genial quanto Mentirosos, mas a pegada da autora é parecida. Ela consegue te envolver da primeira a última página porque você nem imagina o final da história e precisa saber o que acontece.
Esse livro também é mais leve e com menos drama, embora seja um pouco louco tentar entender a mente da personagem principal e acompanhar os atos dela.


Acho que vale a leitura também pela história ser muito criativa e bem desenvolvida! Não precisa ser lido na urgência do outro, mas vale a pena!



O histórico infame de Frankie Landau-Banks
E.Lockhart
Seguinte, 2013

30 de jul de 2015

Resenha: A Mansão Hollow




E, finalmente, eu li um livro da Agatha Christie!
Sensacional, adorei do início ao fim.
Comprei uma edição da Nova Fronteira capa dura, já que os que eu tinha em casa eram muito antigos que não dava nem pra levar na bolsa sem desmanchar e comecei a ler!
Escrita fácil e envolvente, mistério e suspense na dose certa e uma história muito bem arquitetada.

Essa obra é um romance do detetive Poirot, embora nesse especificamente, a participação dele não seja tão notável.
Em um final de semana em que vários convidados se reúnem na mansão, um assassinato ocorre. Uma morte tão óbvia e simples que se torna complicado e sem pistas.
O que eu mais adorei é como a autora constrói cada personagem tão profundamente em poucas páginas. No final da história, o leitor já está pensando coisas como “mas fulano não pode fazer isso porque ele pensa assim” e diversas outras coisas.


Terminei o livro muito impressionada e com vontade de ler outros! Em 2014, tanto a Nova Fronteira quanto a Globolivros lançaram edições com capas novas e ficaram ótimas.


Mansão Hollow
Agatha Christie
Nova Fronteira, 2014
Publicado originalmente em 1946


28 de jul de 2015

Resenha: Nu, de botas


Bom, depois de ler alguns livros do pai, resolvi ler Nu, de botas, uma coletânea de crônicas de Antônio Prata.
É tão genial quanto.
Nessa obra, ele passa por toda a sua infância através de situações engraçadas ou constrangedoras com a mentalidade de criança que tinha na época e a visão de adulto que tem hoje.
Amizades, vergonhas, dúvidas, curiosidades, família, ou seja, tudo aquilo que conhecemos tão bem com uma dose alta de talento.

"Ler o livro de Antonio Prata me fez rir e chorar e depois rir de novo do ridículo que foi chorar no aeroporto e chorar pelo ridículo que é ficar rindo e chorando no aeroporto e acabar perdendo o voo e pensar: que bom, vou poder rir e chorar mais um pouquinho".
                                                                                                         Gregorio Duvivier

Foi exatamente isso que eu senti! Muito engraçado e extremamente bem escrito, cada crônica envolve o leitor do começo ao fim com precisão.

É daqueles livros para ler numa tacada só, para relaxar  e curtir os prazeres da boa crônica nacional.
Indico!


Nu, de botas
Antonio Prata
Companhia das Letras, 2013

21 de jul de 2015

Resenha: Jardim de Escuridão


E olha aí a Bianca Carvalho me fazendo ler e-book de novo... Depois de enfrentar uma barreira pessoal com o e-book em Horas Noturnas, que eu adorei, Jardim de Escuridão me fez abrir mão novamente da leitura do livro físico (que eu amo!). Bianca, mais um vez me envolveu com sua história...
Jardim de Escuridão é o primeiro volume da Trilogia das Cartas.

"Todo dom pode ser uma benção e uma maldição"

Acredita-se que todas as  mulheres da família DeWitt tem um dom. O de Lolla DeWitt é prever acontecimentos futuros. Lolla criou as netas Faith, Cailey e Tatianna e antes de morrer deixou três cartas direcionadas as jovens para serem entregues em datas específicas. A primeira carta é de Faith.
Faith passou recentemente por um tragédia pessoal, perdendo o marido e o bebê que esperava em um acidente de carro no qual estava dirigindo. Se afastou da irmã e da prima e passava os seus tristes dias na sua floricultura. Seu dom eram as flores. Faith as entendia como ninguém e por diversas vezes, inesperadamente, sentia o desejo de presentear alguém com determinada flor que acabava relacionada ao destino da pessoa presenteada.
Na carta, Lolla faz um pedido estranho à neta relacionado as suas flores. Ao realizar o desejo da avó, Faith conhece um lindo jovem e se envolve na perigosa investigação de assassinatos cometidos por um serial killer. E seu dom vai se intensificando e colocando Faith em situações que ela nunca imaginou. 

Jardim de Escuridão tem uma história intrigante, daquelas que te faz querer continuar e descobrir quem é o assassino, sem roubar a atenção totalmente a ponto de você não se envolver com a vida pessoal dos personagens. Você consegue tudo isso: se interessa pelos personagens, formula suas teorias e torce para tudo acabar bem. 
A trama como um todo é interessante e surpreende. No início eu me incomodei um pouco com a construção das frases, pois não parecia a escrita fluída da Bianca que eu já havia conhecido em Horas Noturnas. Mas foi evoluindo ao longo das páginas e acredito que possa ser o amadurecimento natural da escritora ao longo do processo de criação.

Me impressionou a forma como a Bianca reuniu diversos elementos em uma história sem perder o foco, deixando a história dinâmica como um romance policial, mas com um toque sobrenatural. Quando termina, você já quer continuar a leitura com Versos Sombrios (sobre a carta escrita para Cailey, irmã de Faith). A personagem Cailey vive na ansiedade de também receber a carta da avó e o leitor fica com o mesmo sentimento.

Jardim de Escuridão é livro que merece destaque na estante não só pela história, mas também bela linda capa (não tenho o livro físico ainda, mas já está na minha lista de futuras aquisições).

Estes são os  volumes da série:



Conheça mais sobre a Bianca Carvalho na entrevista exclusiva que ela concedeu a Estante da Ana.

Ahh, eu não resiste e dois dias atrás comecei a ler Versos Sombrios... e acreditem, de novo em e-book! 

13 de jul de 2015

Resenha: Guerra Negra


Olá, primeiro quero contar como Guerra Negra chegou até mim. O blog fez uma parceria super legal com a Editora Deuses, o que me possibilitou conhecer o trabalho da Débora Falcão e manter alguns contatos por email. Claro que depois de conversar com ela, conhece-la um pouco mais, propomos uma parceria que resultou na promoção que estamos fazendo no blog com o sorteio desse novo livro da escritora.
Débora é uma fofa! Você pode constatar que estou falando a mais pura verdade assistindo a entrevista exclusiva que ela gravou para nós. 

Então eu recebi dela um exemplar de Guerra Negra. "Prepare-se para uma grande aventura", disse ela na dedicatória! Momento em que você pensa: será? Será que eu vou gostar?  Será que a história é assim mesmo envolvente? Vou ter coisas boas a escrever depois de terminar a leitura? Dúvidas e dúvidas...Respirei fundo e comecei a ler Guerra Negra!

E já nas primeiras páginas, todos meus questionamentos se revelaram totalmente infundados: eu me envolvi tanto com a trama e com os personagens que estar escrevendo esta resenha se tornou um grande prazer. E que sorte de quem ganhar o livro na promoção e tiver a chance de mergulhar nesta história que tem tantos elementos que fica difícil até de classificar. Uma aventura com toques místicos, ação, suspense e até um pouco de romance! Dá para imaginar?

Gostei muito do jeito de escrever da Débora, a história é bem amarrada, detalhista na medida certa. Começa mais sutil, devagar e vai engrenando página após página. Uma escrita bem elaborada, sem erros e que facilita a leitura, flui.

Guerra Negra se passa alguns anos a frente do que estamos vivendo, em 2021. Keren-Hapuque é uma jovem adolescente com uma família judia "ultraortodoxa". De uma maneira inesperada, os pais permitem que ela se mude sozinha para os Estados Unidos para estudar. Lá ela ingressa no colégio New Order High e começa a conhecer seus colegas. Estranha o fato de todos terem nomes totalmente fora do convencional, como Orion, Alphas e Sirius, mas não dá muita bola pra isso e começa a se enturmar. Sua amiga mais próxima, Maureen, a convida para uma festa e lá tudo começa a ficar mais estranho ainda. A festa é de comemoração do aniversário de 20 anos de Junius de Margeau, mas os acontecimentos são mais condizentes a um ritual de alguma seita do que uma festa de jovens. 
Nessa primeira fase da história, enquanto acompanhamos Keren em seu relacionamento com os colegas, envolvimentos amorosos, mistério sobre a sua verdadeira origem e seu papel no destino mundial,  significativas mudanças na economia começam a redefinir o poder entre as nações. Os países começam a fazer alianças formando novos blocos econômicos e o petróleo se torna fonte do tão desejado poder.

Na segunda fase do livro, já em 2030, Keren se tornou uma mulher forte, ciente do seu papel em um mundo alterado pela guerra e dominado pelos Guerreiros Kamar, liderados por Junius. Ele agora é uma importante figura política que vem conquistando prestígio a cada dia, representando o papel do salvador, da única esperança.
Essa fase da história é mais dinâmica, com passagens de ação e a entrada de novos e importantes personagens. Tudo se encaminha para um grande confronto. Uma profecia antiga que está prestes a se realizar, que não pode ser impedida, mas que pode ser enfrentada e ser dado um final diferente que salve a humanidade de um grande mal.

"Nem todo branco significa luz. Nem todo preto significa trevas. Há muito mais entre essas duas cores do que suspeita a sua vã religiosidade".

Mas eu tenho uma reclamação para a autora. Ela terminou Guerra Negra em um ponto crucial da história e agora temos que segurar a ansiedade até o ano que vem, quando será lançado o próximo volume da série. Isso não se faz.. kkk 

Guerra Negra é o primeiro livro da Saga Cidade de Cristal, que contará ainda com O Império da Luz, com previsão de lançamento para 2016, Duas Testemunhas, Abismo e Millenium, sem previsão ainda. 

Acesse o blog da Saga e conheça os personagens, assista a book-trailers e muito mais.

GUERRA NEGRA
Débora Falcão
Editora Deuses
2015

7 de jul de 2015

Resenha: Cadê você Bernadette?


No meu último aniversário, minha (criativa) filha me deu vários presentes, cada um relacionado a algum ponto da minha personalidade. Para a "mãe leitora" é claro que ela deu um livro. Cadê Você Bernadette? foi a escolha dela. Eu não conhecia nem o livro e nem a escritora, a norte-americana Maria Semple que antes de estrear na ficção, escreveu para séries de TV de sucesso como Mad About You. Confiei na escolha da Juliana, que nunca erra, e comecei a leitura. 

O livro conta a vida de uma família americana que se mudou para Seatlle. O pai é um badalado funcionário da Microsoft, responsável pelo maior projeto da empresa. Vive mergulhado no trabalho, com pouco tempo para a esposa e a filha. Bee, está com 15 anos e terminando o colégio. Com seu boletim somente com notas máximas, ela cobra uma promessa dos pais e pede para viajar com eles para a Antártida. A mãe Bernadette não gosta nem um pouco da ideia, mas não tem como recusar o pedido da filha. Bernadette é o tipo antissocial na cidade e principalmente no colégio da filha. Galer Street é o tipo de colégio que vive da interação social entre os pais e Bernadette nem desce do carro quando leva a filha ao colégio para evitar o encontro com outras mães, que ela apelidou de "mosquinhas da Galer". Seu maior tormento é a vizinha, Audrey, uma das "mosquinhas" e seus confrontos são constantes.

Bernadette tem horror a interações sociais, usa uma assistente virtual indiana para resolver (ou criar?) seus problemas, dos mais simples como reservas em restaurantes até a tão indesejada viagem à Antártida. 
Na véspera da viagem, Bernadette desaparece misteriosamente, sem deixar rastro e Bee parece ser a única que não se conforma com o ocorrido e faz de tudo para reencontrar a mãe. 

Posso dizer que é um leitura fora do convencional. A história é contada por meio de reproduções de correspondências trocadas entre os diversos personagens (no final este formato vai ter uma explicação). Entre as trocas de mensagens, há os relatos de Bee. Esta troca de mensagens é estranha no início, mas é por meio dela que vamos conhecendo um a um dos personagens e a história vai se desenrolando. Demorei um pouco para engrenar... e Bernadette, na verdade, demora um pouco para desaparecer! Quando li a sinopse pensei que o livro seria sobre a busca da filha pela mãe, mas na verdade isso só acontece depois da metade do livro.

Acho que a história fala um pouco de tudo o que acontece na vida moderna: muito trabalho, pouco tempo, abandono de carreira, mães dedicadas, pessoas depressivas, relacionamento superficiais e por ai vai.

Quando eu comecei, não tinha a certeza de que ia gostar do livro, mas a história, contada com pitadas de humor e de um jeito leve, vai conquistando aos poucos até você precisar terminar para saber o que acontece!

A Juliana acertou mais um vez! Cadê você Bernadette? eu recomendo!

Leia um trecho aqui.

Cadê você Bernadette?
Maria Semple
Companhia das Letras
2013