13 de jul de 2015

Resenha: Guerra Negra


Olá, primeiro quero contar como Guerra Negra chegou até mim. O blog fez uma parceria super legal com a Editora Deuses, o que me possibilitou conhecer o trabalho da Débora Falcão e manter alguns contatos por email. Claro que depois de conversar com ela, conhece-la um pouco mais, propomos uma parceria que resultou na promoção que estamos fazendo no blog com o sorteio desse novo livro da escritora.
Débora é uma fofa! Você pode constatar que estou falando a mais pura verdade assistindo a entrevista exclusiva que ela gravou para nós. 

Então eu recebi dela um exemplar de Guerra Negra. "Prepare-se para uma grande aventura", disse ela na dedicatória! Momento em que você pensa: será? Será que eu vou gostar?  Será que a história é assim mesmo envolvente? Vou ter coisas boas a escrever depois de terminar a leitura? Dúvidas e dúvidas...Respirei fundo e comecei a ler Guerra Negra!

E já nas primeiras páginas, todos meus questionamentos se revelaram totalmente infundados: eu me envolvi tanto com a trama e com os personagens que estar escrevendo esta resenha se tornou um grande prazer. E que sorte de quem ganhar o livro na promoção e tiver a chance de mergulhar nesta história que tem tantos elementos que fica difícil até de classificar. Uma aventura com toques místicos, ação, suspense e até um pouco de romance! Dá para imaginar?

Gostei muito do jeito de escrever da Débora, a história é bem amarrada, detalhista na medida certa. Começa mais sutil, devagar e vai engrenando página após página. Uma escrita bem elaborada, sem erros e que facilita a leitura, flui.

Guerra Negra se passa alguns anos a frente do que estamos vivendo, em 2021. Keren-Hapuque é uma jovem adolescente com uma família judia "ultraortodoxa". De uma maneira inesperada, os pais permitem que ela se mude sozinha para os Estados Unidos para estudar. Lá ela ingressa no colégio New Order High e começa a conhecer seus colegas. Estranha o fato de todos terem nomes totalmente fora do convencional, como Orion, Alphas e Sirius, mas não dá muita bola pra isso e começa a se enturmar. Sua amiga mais próxima, Maureen, a convida para uma festa e lá tudo começa a ficar mais estranho ainda. A festa é de comemoração do aniversário de 20 anos de Junius de Margeau, mas os acontecimentos são mais condizentes a um ritual de alguma seita do que uma festa de jovens. 
Nessa primeira fase da história, enquanto acompanhamos Keren em seu relacionamento com os colegas, envolvimentos amorosos, mistério sobre a sua verdadeira origem e seu papel no destino mundial,  significativas mudanças na economia começam a redefinir o poder entre as nações. Os países começam a fazer alianças formando novos blocos econômicos e o petróleo se torna fonte do tão desejado poder.

Na segunda fase do livro, já em 2030, Keren se tornou uma mulher forte, ciente do seu papel em um mundo alterado pela guerra e dominado pelos Guerreiros Kamar, liderados por Junius. Ele agora é uma importante figura política que vem conquistando prestígio a cada dia, representando o papel do salvador, da única esperança.
Essa fase da história é mais dinâmica, com passagens de ação e a entrada de novos e importantes personagens. Tudo se encaminha para um grande confronto. Uma profecia antiga que está prestes a se realizar, que não pode ser impedida, mas que pode ser enfrentada e ser dado um final diferente que salve a humanidade de um grande mal.

"Nem todo branco significa luz. Nem todo preto significa trevas. Há muito mais entre essas duas cores do que suspeita a sua vã religiosidade".

Mas eu tenho uma reclamação para a autora. Ela terminou Guerra Negra em um ponto crucial da história e agora temos que segurar a ansiedade até o ano que vem, quando será lançado o próximo volume da série. Isso não se faz.. kkk 

Guerra Negra é o primeiro livro da Saga Cidade de Cristal, que contará ainda com O Império da Luz, com previsão de lançamento para 2016, Duas Testemunhas, Abismo e Millenium, sem previsão ainda. 

Acesse o blog da Saga e conheça os personagens, assista a book-trailers e muito mais.

GUERRA NEGRA
Débora Falcão
Editora Deuses
2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário