7 de jul de 2015

Resenha: Cadê você Bernadette?


No meu último aniversário, minha (criativa) filha me deu vários presentes, cada um relacionado a algum ponto da minha personalidade. Para a "mãe leitora" é claro que ela deu um livro. Cadê Você Bernadette? foi a escolha dela. Eu não conhecia nem o livro e nem a escritora, a norte-americana Maria Semple que antes de estrear na ficção, escreveu para séries de TV de sucesso como Mad About You. Confiei na escolha da Juliana, que nunca erra, e comecei a leitura. 

O livro conta a vida de uma família americana que se mudou para Seatlle. O pai é um badalado funcionário da Microsoft, responsável pelo maior projeto da empresa. Vive mergulhado no trabalho, com pouco tempo para a esposa e a filha. Bee, está com 15 anos e terminando o colégio. Com seu boletim somente com notas máximas, ela cobra uma promessa dos pais e pede para viajar com eles para a Antártida. A mãe Bernadette não gosta nem um pouco da ideia, mas não tem como recusar o pedido da filha. Bernadette é o tipo antissocial na cidade e principalmente no colégio da filha. Galer Street é o tipo de colégio que vive da interação social entre os pais e Bernadette nem desce do carro quando leva a filha ao colégio para evitar o encontro com outras mães, que ela apelidou de "mosquinhas da Galer". Seu maior tormento é a vizinha, Audrey, uma das "mosquinhas" e seus confrontos são constantes.

Bernadette tem horror a interações sociais, usa uma assistente virtual indiana para resolver (ou criar?) seus problemas, dos mais simples como reservas em restaurantes até a tão indesejada viagem à Antártida. 
Na véspera da viagem, Bernadette desaparece misteriosamente, sem deixar rastro e Bee parece ser a única que não se conforma com o ocorrido e faz de tudo para reencontrar a mãe. 

Posso dizer que é um leitura fora do convencional. A história é contada por meio de reproduções de correspondências trocadas entre os diversos personagens (no final este formato vai ter uma explicação). Entre as trocas de mensagens, há os relatos de Bee. Esta troca de mensagens é estranha no início, mas é por meio dela que vamos conhecendo um a um dos personagens e a história vai se desenrolando. Demorei um pouco para engrenar... e Bernadette, na verdade, demora um pouco para desaparecer! Quando li a sinopse pensei que o livro seria sobre a busca da filha pela mãe, mas na verdade isso só acontece depois da metade do livro.

Acho que a história fala um pouco de tudo o que acontece na vida moderna: muito trabalho, pouco tempo, abandono de carreira, mães dedicadas, pessoas depressivas, relacionamento superficiais e por ai vai.

Quando eu comecei, não tinha a certeza de que ia gostar do livro, mas a história, contada com pitadas de humor e de um jeito leve, vai conquistando aos poucos até você precisar terminar para saber o que acontece!

A Juliana acertou mais um vez! Cadê você Bernadette? eu recomendo!

Leia um trecho aqui.

Cadê você Bernadette?
Maria Semple
Companhia das Letras
2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário