7 de jan de 2015

Resenha: O Bicho-da-Seda



Título: O Bicho-da-Seda

Autor: Robert Galbraith
Editora: Rocco
Ano: 2014
Pág: 462
ISBN: 978-85-325-2949-7

SINOPSE:
Quando o romancista Owen Quine desaparece, sua esposa apela ao detetive particular Cormoran Strike. No início, ela pensa apenas que o marido se afastou por alguns dias – porque ele já fez isso antes – e quer que Strike o encontre e o traga para casa.
Mas, à medida que Strike investiga, fica claro que há mais no desaparecimento de Quine do que percebe a mulher. O romancista acabara de concluir um manuscrito retratando de forma venenosa quase todos que conhece. Se o romance for publicado, destruirá a vida de muitos. Muita gente, portanto, pode querer silenciá-lo.
Quando Quine é encontrado brutalmente assassinado em circunstâncias bizarras, começa uma corrida contra o tempo para entender a motivação de um assassino impiedoso, um assassino diferente de qualquer outro que Strike já viu.
Romance policial que se lê compulsivamente, com guinadas a cada virada de página, O bicho-da-seda é o segundo de Roberto Galbraith numa série muito aclamada apresentando Cormoran Strike e sua decidida jovem assistente Robin Ellacott.

Eu adorei o Chamado do Cuco, o primeiro livro escrito pela J.K. Rowling sob o pseudônimo Robert Galbraith. Claro que quando foi lançado O bicho-da-seda eu não poderia deixar de ler.
Cormoran Strike é uma figura. Veterano de guerra, perdeu uma perna em um explosão e hoje é detetive particular. Vivia com trabalhos medíocres até desvendar o assassinato na modelo Lula Landry no primeiro livro. Após esse episódio que o levou aos jornais e a fama repentina, ele teve um considerável aumento no número de clientes. Nada suficiente, porém, para ele melhorar de vida. Sua assistente Robin permanece trabalhando com ele, mesmo contrariando seu noivo Matthew, que não gosta nem um pouco do chefe dela. 

Em meio a investigações de adultério, Strike é procurado para encontrar um romancista desaparecido. Uma figura excêntrica que, segundo a esposa, já desapareceu outras vezes. Mesmo contrariando o bom senso, Strike aceita o caso pelo o qual nem receba qualquer pagamento e inicia sua investigação até que o corpo do escritor é encontrado.
A partir dai, vamos conhecendo os personagens suspeitos do crime e seus envolvimentos antigos e recentes com o escritor assassinato. Com a valiosa ajuda de Robin, Strike vai aprofundando na investigação até o desfecho final. Strike é inteligente e percebe detalhes que outras pessoas deixam passar. Alguns desses detalhes ou dos pensamentos do detetive não são apresentados ao leitor, dificultando que cheguemos a mesma conclusão que ele.

A trama é bem escrita e fundamentada, mas a narrativa, por diversas vezes, ficou maçante. A riqueza de detalhes de cada restaurante ou casa que Strike entrava, das ruas da cidade e das pessoas me cansaram um pouco, quando deveriam somente me ambientar nas cenas. Mas confesso que eu fico entediada facilmente com muitas descrições e detalhamentos. Não é uma falha do livro, e sim uma característica minha como leitora.


O Bicho-da-Seda é uma excelente história que não deixa a dever em nada para O Chamado do Cuco. Mais uma vez, Robert (ou J.K., como preferir) desenvolveu uma trama que prende o leitor e o faz tentar desvendar o mistério junto com o protagonista. E mais do que isso, esperar pela próxima aventura do polêmico detetive!


Conheça o primeiro livro de Robert Galbraith: O chamado do cuco




2 comentários:

  1. Estou louca para fazer essa leitura, já estive a ponto de comprar esse livro que é belíssimo e em capa dura por duas vezes, espero ler em breve. Parabéns pela resenha, aguçou ainda mais minha vontade de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita! Eu comprei a edição simples mesmo, igual a minha do Chamado do Cuco, mas a de capa dura é muito mais bonita. Leia sim, acredito que vá gostar. Abraços.

      Excluir