6 de set de 2014

Resenha: Trilogia A Seleção - Livro 3 - A Escolha

Título: A Escolha
Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Ano: 2014
Pág.: 351
ISBN: 978-85-65765-37-4

ATENÇÃO: ALERTA DE SPOILER

SINOPSE:
America era a candidata mais improvável da Seleção: se inscreveu por insistência da mãe e aceitou participar da competição só para se afastar de Aspen, um garoto que partira seu coração. Ao conhecer melhor o príncipe, porém, surgiu uma amizade que logo se transformou em algo mais... No entanto, toda vez que Maxon parecia estar certo de que escolheria America, algum obstáculo fazia os dois se afastarem.
Um desses obstáculos era Aspen, que passou a ocupar o posto de guarda no palácio e estava decidido a reconquistar a namorada. Em encontros proibidos, ele a reconfortava em meio àquele mundo de luxos e rivalidades. Mas o relacionamento entre os dois já não era mais o mesmo - ainda que ficase balançada, America amava Maxon e cogitava seriamente se tornar princesa.
Entretanto, essas idas e vindas de America fizeram-na perder um pouco de espaço no coração do príncipe, lugar que foi prontamente ocupado por Kriss. As outras duas Selecionadas ainda na disputa, Celeste e Elise, também possuíam suas vantagens graças a conexões fora do palácio. Para completar, o rei odiava America e a considerava a pior opção para o filho. Assim, tentava sabotar a relaçao dos dois, inventando mentiras e colocando a garota à prova a todo instante.
Agora, para conseguir o que deseja, America precisa cortar os laços com Aspen, conquistar o povo de Illéa e conseguir novos aliados políticos. Mas tudo pode sair do controle quando ela começa a questionar o sistema de castas e a estratégia usada para lidar com os ataques rebeldes.

Dos três livros, A Escolha é o que tem o maior enfoque na política de Illéa, com a intensificação dos ataques rebeldes e America tomando conhecimento de fatos da história da formação do país e da importância das alianças políticas. 
Seu romance com o príncipe está mais conturbado do que nunca. Quando tudo parece se dirigir para o "felizes para sempre" algo acontece ou America faz alguma besteira de grandes proporções. Seu jeito de agir é o principal motivo do ódio declarado que o rei sente por ela, chegando a expulsá-la do palácio. 
Segredos da vida de Maxon revelados para America faz com que a cumplicidade entre eles se fortifique, porém outra garota, Kriss também está sendo considerada pelo príncipe como uma possível escolha. America começou a perder espaço na disputa.
Apesar de aceitar seus sentimentos pelo príncipe e querer ser a escolhida dele, não consegue confessar para Aspen suas intenções. 
A principal mudança na personagem nesse desfecho é seu despertar para a necessidade de lutar pelo seu objetivo. Não basta que Maxon a queira, ela tem que ser a candidata predileta do povo de Illéa, tem que provar ao rei que pode ser a princesa ideal, que conquista aliados políticos e que sabe se controlar quando não está satisfeita com os acontecimentos... uma das maiores dificuldades dela!
Somente em A Escolha vemos America lutando por Maxon, porém, ela nunca esteve tão longe de ser a eleita.
Posso dizer que o final não é exatamente da forma como eu imaginei.
Percebe-se na trilogia um crescimento da personagem principal a cada volume (embora a vontade de dar os cutucões nela não passe até o final: ela faz muita burrada e se lamenta demais). 
O fato de ser voltado para o público juvenil justifica a história estar dividida em três volumes, mas para mim, poderia muito bem ter sido contada em um único livro sem perda de detalhes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário