5 de set de 2014

Resenha: Trilogia A Seleção - Livro 2 - A Elite

Título: A Elite
Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Ano: 2013
Pág.: 351
ISBN: 978-85-65765-12-1

ATENÇÃO: ALERTA DE SPOILER

SINOPSE:
A vida no palácio não era tão ruim quanto America imaginava. Ou melhor, com todos os mimos e privilégios que estava tendo, ela já mal se lembrava de como era pertencer à casta Cinco. Ser Um, em compensação, era fácil: suas criadas eram costureiras talentosíssimas e faziam vestidos maravilhosos; os banquetes e as festas que frequentava eram incrivelmente divertidos; e o conforto em que vivia agora seria impensável algum tempo atrás. Além de tudo, quando sentia saudade de casa, tinha Aspen por perto.
Ele era compreensivo, companheiro e tinha decidido colocar sua vida em perigo por ela - afinal, o que aconteceria se alguém descobrisse que, além de guarda do palácio, era ex-namorado de um das candidatas? Era com Aspen que America contava nas horas mais difíceis. Por outro lado, o príncipe Maxon era atraente, bondoso, carinhoso e - o mais importante - desejava America mais do que qualquer outra garota da Elite.
Mas, além de estar com o coração secretamente dividido, também era difícil lidar com o fato de que aceitar Maxon significava ter que aceitar uma coroa. America não tinha certeza se gostaria de ser uma princesa. Apesar da vida glamorosa, havia tanta coisas com as quais ela não concordava e que permaneceriam sem explicação: por que o palácio sofria tantos ataques rebeldes? O que era reivindicado? Por que os castigos aos infratores tinham de ser tão violentos? O que estava por trás daquele regime de castas tão cruel?
O tempo está acabando e as dúvidas de America só aumentam.

Em A Elite, segundo volume da trilogia, acompanhamos America se aproximar cada vez mais de Maxon, porém a presença de Aspen como guarda no castelo a faz se sentir dividida como nunca. 
Apenas seis garotas permanecem na disputa e cada uma delas tem suas vantagens perante as concorrentes (queridas pelo público, influentes politica ou socialmente). Mas a única vantagem de America é ser querida por Maxon que não permitiu que ela fosse embora até agora. Ela é a única garota de casta baixa que chegou a Elite nessa Seleção e a única que discute a formação política de Illéa e tem ideias revolucionárias que desagradam o rei. 
O castelo sofre ataques violentos de grupos rebeldes que intrigam America e a faz questionar se conseguiria ser princesa sob o comando de Clarkson. 

Já adaptada a vida luxuosa do castelo, America se envolve mais ainda em seu conflito pessoal. Ela é a preferida de Maxon que até agora só não anunciou sua escolha por não saber ao certo o que America sente. Diante do impasse da candidata, Maxon passa a dar chance para as demais garotas, se aproximando mais delas e refletindo sobre suas opções. Enquanto não decide, ela sofre vendo as outras garotas com ele e a possibilidade de perder o poder de escolha e ser mandada embora.
Tem momentos durante a história que queremos dar uns cutucões em America, do tipo "acorda garota". Aspen parece só atrapalhar... a relação dos dois parece não significar mais nada. É como se ela tivesse dificuldade em deixar o passado e não em deixa-lo. Chega a ser irritante!
Vamos ver se em A Escolha, America deixa de bobagem e aceita logo o amor do príncipe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário