4 de set de 2014

Resenha: Trilogia: A Seleção - Livro 1

Título: A Seleção
Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Ano 2012
Pág.: 368
ISBN: 978-85-65765-01-5

SINOPSE

Para trinta e cinco garotas, a Seleção é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis a vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha.
Para América Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu larj para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.
Então América conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso. Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, América começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma - e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

Minha experiência com este livro foi interessante. Ganhei de presente do meu filho adolescente, mas desconfio que quem escolheu o livro foi a namorada dele. Como já contei aqui, eu leio de tudo e adoro uma leitura juvenil: sou fã de Harry Potter, comprei Percy Jackson para meu filho (ele parou no quarto volume e eu estou a espera do próximo lançamento), li Deltora Quest (super indico) com minha filha quando ela tinha dez anos e por ai vai... O engraçado em A Seleção é que quando eu fui na livraria e perguntei sobre o volume 2, a atendente me mandou para a seção infanto-juvenil. Imagina a minha cara... Só rindo mesmo!

Mas vamos a história. A Seleção é classificada como uma distopia, mas é, acima de tudo, um romance. America é uma garota que vive em Illéa, um jovem país nascido no pós guerra, com uma sociedade estruturada em forma de castas que vão de 1 (os ricos) a 8 (os sem-teto) e governada pelo rei Clarkson e sua linda rainha Amberly, uma plebléia.
America pertence a casta Cinco, dos que vivem da arte e servem os de casta superior. Os Cinco trabalham duro para terem o básico para a subsistência, sem qualquer tipo de luxo ou extravagância. America vive um romance secreto com Aspen, da casta Seis e faz planos de casamento. Praticamente obrigada pela mãe, America se inscreve no sorteio que levará 35 garotas ao castelo para participarem da Seleção, onde uma delas se tornará a esposa do príncipe. O mundo de America desaba quando ela é selecionada e tem que deixar sua família e Aspen para viver a mercê dos caprichos de um príncipe arrogante. Bom, isso é o que ela pensava até conhecer Maxon (em um momento de revolta) e descobrir nele um jovem carinhoso e atraente. De uma forma inesperada, passa a ser um tipo de amiga para o príncipe e vive situações divertidas e outras encantadoras ao seu lado.

"-Está tudo bem, querida? - ele perguntou.
-Eu não sou sua querida.
Levantei a cabeça para encará-lo. Era impossível não notar o nojo no meu tom de voz e nos meus olhos.
(....)
-E você, pelo que luta?
-Na verdade, estou aqui por engano.
-Engano?
-É, mais ou menos. Bem, é uma longa história... Estou aqui. E não estou lutando. Meu plano e aproveitar a comida até você me chutar"
(...)
-America, minha querida, espero muito que encontre algo nesta jaula por que valha a pena lutar. Depois de tudo isso, não posso deixar de imaginar como seriam as coisas se você realmente se esforçasse".

Cercada de luxos que ela nem sabia que podiam existir, America começa sua vida no palácio, tentando permanecer o máximo possível para favorecer a família, que recebe dinheiro enquanto ela estiver na Seleção, e aproveitar as deliciosas refeições. Mesmo sem aspirações à princesa, ela tem que conviver com a disputa acirrada e nem sempre leal das outras garotas. E tudo na frente das câmeras de TV, pois a Seleção é uma espécie de reality show.
Ela passa por momentos de dúvida sobre seus desejos, seus sonhos, saudades da família e de Aspen. Ao final desse primeiro livro, 29 garotas terão voltado para casa e restarão seis para a escolha de Maxon.

Gostei da história e achei uma leitura gostosa, leve. A sociedade distópica é apenas o pano de fundo da trama e não há grandes reflexões a este respeito, apenas explicações da forma de vida das pessoas de castas baixas para que possamos entender o universo da personagem principal e suas motivações.  O primeiro volume tem como foco a transformação de America, de uma simples jovem da casta Cinco para uma elegante aspirante a princesa, talvez, apaixonada pelo príncipe!






Nenhum comentário:

Postar um comentário