13 de mar de 2014

Resenha: Entre o Amor e a Paixão

Título: Entre o Amor e a Paixão
Autor: Lesley Pearse
Ano: 2013
Número de Páginas: 511
Editora: Novo Conceito
IBSN: 978-85-8163-237-7

ALERTA SPOILER: Este livro é continuação da estória contada em Belle. Leia-o primeiro

Sinopse:
“Belle parece ter encontrado alguma tranquilidade. Seu marido é um homem bom e leal; ela conseguiu abrir sua loja de chapéus para senhoras; está esperando seu primeiro filho, e seus amigos estão ao seu lado para apoiá-la no que for preciso.
Mas sua nova realidade trará a dor de uma vida abominável em meio ao cenário da Primeira Guerra Mundial.
Os detalhes sobre a vida nas trincheiras, os ataques contra os aliados, a morte e a doença dos soldados compõem um pano de fundo perfeito para as preocupações e as dúvidas de Belle. Dúvidas de toda uma geração que, criada sob o rígido código moral, se vê abandona à própria sorte em uma Europa destruída de valores, sonhos ou felicidade.
Um livro magnífico, com personagens fortes e narrativa cheia de verdade, que prende o leitor da primeira à última página.”

Quando vi que Entre o Amor e Paixão era é continuação de Belle não pude resistir e comecei a ler imediatamente. Assim como o primeiro, esse livro nos encanta com a riqueza de detalhes e com uma trama envolvente e emocionante.
Belle está casada com Jimmy, realizada profissionalmente com sua loja de chapéus e parece ter deixado o passado para trás. Vive com o marido, juntamente com Mog e Garth em Blackheath, onde é respeitada como uma dama da sociedade e as pessoas desconhecem totalmente sua origem e tudo o que passou até chegar ali.
As vésperas da Primeira Guerra, Belle está feliz, aguardando a chegada de seu primeiro bebê quando uma série de acontecimentos a tiram de sua vida confortável. Primeiro seu passado volta na pessoa de Etienne, o homem que a levou forçada para a América e que depois salvou sua vida trazendo-a de volta para casa. Encontrar Etienne a faz reviver um sentimento que não deveria: a paixão que sentiu por ele.

“Uma mulher dividida entre o compromisso do casamento e o calor de um relacionamento passado”.

Seu marido amoroso e atencioso se vê obrigado moralmente a se alistar no exército e partir, deixando a esposa grávida em casa, na incerteza de seu retorno.
Uma nova personagem nos é apresentada: Miranda, filha de uma família importante da sociedade local. Ela surge tão repentinamente na vida de Belle e se transforma em uma grande amiga, que pode compartilhar com ela segredos, histórias, aventuras e sofrimentos.
Com a Inglaterra em guerra e homens lutando no front, as mulheres tem que lutar sozinhas em casa, garantindo o sustento da família e deixando para trás velhos conceitos de moralidade que não tem mais lugar em um cenário devastador. Com Belle não seria diferente, e ela, mais uma vez, usa a coragem e determinação para desempenhar o seu papel na guerra.
Decisões importantes deverão ser tomadas ao longo de sua trajetória e, na maioria das vezes, não há uma alternativa que não traga sofrimento a alguém que ela ama.
Mais uma vez, Lesley Pearse nos trás um cenário ricamente ambientado, agora nos mostrando a brutalidade da Primeira Guerra Mundial. Sua descrição das cenas de combate e dos momentos de angústia e superação dos soldados é tão realista que demonstra o quanto a autora se dedica a pesquisa. Ela conta que leu mais de 40 livros sobre o tema enquanto escrevia Entre o Amor e a Paixão.

A autora também nos conta qual foi sua inspiração para escrever a sequência de Belle:

“Amei tanto Belle que realmente não consegui esquecê-la e passar para outro personagem. Essa foi a primeira vez para mim, pois normalmente me sinto triste por me desfazer de minhas heroínas, mas sei que contei a história delas e acabei. Mas Belle foi diferente, ela era tão cheia de energia e fogo, não podia deixa-la ir. Senti também que meus leitores gostariam de saber se ela adquiriu sua chapelaria, que papel ela desempenhou na Primeira Guerra Mundial e se conseguiu ficar longe de problemas! E há os homens em sua vida. Ela sossegaria com Jimmy, encontraria Etienne novamente? E, claro, como eles se sairiam na guerra?”.

Um comentário: