17 de mar de 2014

Resenha: Maldito Karma

Título: Maldito Karma
Autor: David Safier
Ano: 2010
Número de Páginas: 286
Editora: Planeta
IBSN: 978-85-7665-550-3

SINOPSE:
A apresentadora de televisão Kim Lange está o melhor momento de sua carreira. E é justamente nesse momento que sofre um acidente e morre de forma bastante inusitada: é atingida pelo banheiro de uma estação espacial russa! Logo depois de sua morte, Kim se dá conta de que praticamente só acumulou mau karma durante sua vida: traiu seu marido, foi displicente com sua filha e magoou muitos dos que a rodeavam. Em pouco tempo percebe qual será seu castigo: em um formigueiro, com uma cabeça enorme, duas antenas e seis patas... Kim descobre que foi transformada em formiga!
Mas é claro que ela não terá paciência de ficar recolhendo migalhas e migalhas de pão até conseguir reverter os erros cometidos durante sua existência. Além disso, não pode permitir que seu marido seja consolado por outra mulher nem tolerar que sua filha tenha outra mãe. Só há uma saída: acumular bom karma para ascender na escala de reencarnação e, assim, talvez conseguir se reaproximar de sua família. Porém, o caminho para deixar de ser um inseto e converter-se em algo um pouco mais evoluído é duro e repleto de adversidades.
Com um desfecho inesperado, a trajetória de Kim Lange é hilariante, divertida e, ao mesmo tempo, capaz de nos fazer refletir sobre nossos valores e nossa própria mortalidade.


Surpreendente e divertido! Maldito Karma não tem nenhum enfoque religioso, mas utiliza a reencarnação para nos apresentar, de forma muito engraçada, a história dessa arrogante apresentadora de TV que morre de uma maneira ridícula e reencarna como uma formiga.
Somente uma situação extrema como essa poderia fazer Kim refletir sobre o que fez com sua vida e chegar a triste constatação de que não foi a melhor das pessoas. Agora, como formiga, ela percebe que foi exatamente o contrário disso: desvalorizou o seu marido, deu preferência para vida profissional e sua filha não teve uma mãe presente e atenciosa.
Mas a forte personalidade de Kim a leva a luta para acumular “bom karma”, pois segundo Buda, uma formiga gorda que aparece para ela a cada reencarnação (cada vez de uma maneira mais divertida), só acumulando bom karma através de boas ações ela conseguirá subir os degraus da evolução e chegar ao Nirvana.
A narrativa é na primeira pessoa e é bem envolvente. Durante a leitura, vamos acompanhando as aventuras de Kim em sua trajetória, repleta de acontecimentos divertidos.
Você se diverte lendo, mas este livro também te proporciona a oportunidade de pensar sobre o que realmente tem importância na vida.
Kim tem a oportunidade de rever sua família, chegar bem próxima a filha e até mesmo interagir com ela. Aprende o real valor que a família tem em sua existência e quer a todo custo recuperá-la.
A apresentadora vai seguindo seu caminho de evolução experimentando desafios em corpos de diferentes espécies (a fase porquinha-da-índia é a melhor!), mas sempre consciente de quem realmente é e o que precisa fazer: afastar a antiga amiga que está se aproximando de seu marido, reconquistá-lo e ser a mãe que sua filha sempre precisou, mas nunca teve.
Outras personagens interessantes são incorporadas na trama. Até o famoso conquistador Casanova, na forma de formiga, é claro. Os divertidos pensamentos de Casanova são apresentados nas notas de rodapé.

“Fui direta ao ponto:
-Eu também sou uma pessoa reencarnada.
Agora, sim, captara sua atenção.
-Meu nome é Kim Lange.
Os olhos dele se iluminaram. Não falou nada; com certeza precisava primeiro ordenar as milhares de ideias que lhe passavam pela cabeça.¹
¹ Das memórias de Casanova: Uma única ideia feliz entusiasmou e cativou minha mente: “Depois de séculos cheios de privações, finalmente encontro uma mulher! Aleluia”.

Casanova é uma espécie de conselheiro de Kim com a experiência de alguém que teve 115 encarnações como formiga.
O humor nas narrativas é empolgante e te faz querer ler todas as obras deste autor alemão. David Safier também escreveu Uma Familia Feliz e Jesus me Ama, outros dois romances hilários e inesperados.





Nenhum comentário:

Postar um comentário