23 de fev de 2015

Resenha: Por lugares incríveis

Título: Por lugares incríveis
Autora: Jennifer Niven
Editora: Seguinte
Ano: 2015
Pág.: 335
ISBN: 978-85657565-57-2

SINOPSE: 
Violet Markey tinha uma vida perfeita: amigos populares, um namorado lindo, um futuro estudando escrita criativa em Nova York e várias ideias para a revista on-line que dividia com sua irmã, Eleanor. Mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando as duas sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pela morte da irmã, Violet para de escrever, se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente.
Theodore Finch encarna um personagem diferente a cada semana - Finch anos 80, Finch Fodão, Finch largado - e sempre faz o que dá na telha. Essa personalidade imprevisível não raro acaba lhe trazendo problemas, e logo ele se torna o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e chamado de "aberração" por onde passa. Para piorar, o garoto é obrigado a lidar com longos períodos de depressão, um pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora e aplacar o luto que sente pela ausência da irmã, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre do sino da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular.
Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Eles vão até o ponto mais alto de Indiana, a um parque de bibliotecas que funcionam dentro de trailers antigos. a uma lagoa onde dizem não ter fundo, a montanhas-russas construídas por um senhor viciado em adrenalina, entre vários outros locais grandiosos ou pitorescos. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

Começo já dizendo que esse livro me surpreendeu. Mas por que? Bom, quando li a sinopse no email de divulgação da Editora Seguinte, eu me interessei pela história, embora imaginasse que fosse mais um romance adolescente em que dois jovens com alguma dificuldade encontram um no outro a tão sonhada "salvação". Engano meu!

No início eu até pensei que era isso mesmo. Quando eles se conhecem e quando os dois personagens vão sendo apresentados inicialmente é essa impressão que temos mesmo. Mas ai a coisa vai mudando...

Eles podem ser adolescentes, a história está em boa parte ambientada no colégio com seus alunos populares e outros nem tanto, mas os problemas vividos pelos dois são bem diferentes da superficialidade das historinhas escolares. Finch enfrenta o que eu acredito ser um dos grandes males atuais, a depressão. Sua luta diária e constante para não "apagar", para se manter alerta e "aqui" é o que milhões de pessoas vivem, independente de idade.
Outros temas são abordados: o abandono familiar, por exemplo. Violet vive a tristeza de ter sido deixada por sua irmã, levada pela morte, mas Finch vive a tristeza de ter uma mãe omissa e ter sido abandonado por seu pai, vivo! Um abandono camuflado, mas real e que abre uma ferida mais profunda que a própria morte. E as feridas dele são tantas que ele passa seus dias pensando em formas diferentes de suicídio. Esse sim, o tema principal do livro. 
Conforme a leitura vai avançando, você vai se envolvendo cada vez com o drama dos dois, principalmente de Finch e ai não consegue mais largar o livro. 

A narrativa é alternada entre os pontos de vista de Finch e Violet, iniciando sempre com a contagem dos dias: ela dos dias que faltam para a formatura e ele dos dias em que está desperto, desde o último período em que foi totalmente tomado pela depressão.

Por lugares incríveis é uma leitura interessante, acredito eu, para jovens e adultos. Trata de temas densos, tidos como tabu na maioria das discussões. Tabus esses que contribuem ainda mais para que pessoas com problemas emocionais se sintam sozinhas no mundo, agravando a situação. 

Quando você o ler, não deixe de conferir a "nota da autora". É o primeiro livro que Jennifer Niven escreveu para um público mais jovem (sim, o livro é para jovens leitores) e também o primeiro sobre uma experiência pessoal. 

Por lugares incríveis: eu indico!

Nenhum comentário:

Postar um comentário