25 de fev de 2015

Resenha: O contador de histórias - cenas escolhidas


Título: O contador de histórias - cenas escolhidas

Autor: Jorge Amado 
Organizadora: Heloisa Prieto
Editora: Boa Companhia
Ano: 2012
ISBN: 978-85-65771-00-9



Jorge Amado foi um grande contador de histórias — era assim que ele gostava de se definir Partindo de cenários variados, geralmente ambientados em sua Bahia encantada, o autor criou enredos sempre inesperados, amarrados de maneira inusitada, muitas vezes com humor e irreverência, prendendo totalmente a atenção do leitor. Foram mais de trinta romances, que ganharam adaptações para teatro, televisão e cinema, provavelmente por conta da força de suas tramas, pelos diálogos vívidos dos personagens e pelo domínio na arte de interromper a narrativa em momentos cruciais, a chamada "técnica de virada".

Apesar de ser um dos maiores escritores de todos os tempos, Jorge Amado sonhava ser diretor de cinema. Para homenagear esse amante da sétima arte, Heloisa Prieto selecionou sequências narrativas, fragmentos, descrições de personagens, diálogos e cenários, montando esta antologia como um verdadeira trailer de cinema. São doze cenas inesquecíveis, de todas as fases da carreira do autor, que constituem um convite saboroso a futuros mergulhos em sua obra inesgotável.



Como muitos, eu fui obrigada a ler Jorge Amado na época do vestibular. 

Diferente de muitos, Capitães da areia me deixou simplesmente apaixonada.
Sempre me prometi que eu ia ler todos os livros possíveis de Jorge Amado, mas são muitos e o tempo para me dedicar a isso é muito curto (infelizmente).
Aí eu encontrei esse livro, O contador de histórias, e foi um perfeito incentivo para eu correr atrás da biografia desse grande autor.
Nele, Heloisa Prieto (uma grande escritora com diversos livros para todas as idades) selecionou, de cada um de 12 romance de Amado, um trecho marcante e inesquecível.
Gente, é uma delícia de ler!
Em livros que eu já conhecia como Capitães da areia, Quincas Berro Dágua e Gabriela, cravo e canela eu me senti totalmente nostálgica e com muita vontade de reler.
Nos outros (Jubiabá, Mar morto,Seara Vermelha, Os velhos marinheiros ou O capitão-de-longo-curso, Dona Flor e seus dois maridos, Tenda dos Milagres, Tereza Batista cansada de guerra, O sumiço da Santa e A descoberta da América pelos turcos) eu estava receosa de ficar descolada na narrativa mas, como a Heloisa faz um sinopse de cada um antes do trecho, foi fácil me sentir ambientada.
Os fragmentos selecionados são marcantes, intensos e retratam bem a literatura do autor.
Acho que um bom proveito desse livro é como um incentivo a literatura nacional para novos leitores... é extremamente envolvente e fácil de ler.
Bom, o livro é curtinho e a resenha também! haha. Mas fica uma dica boa (:

Nenhum comentário:

Postar um comentário