6 de fev de 2015

Resenha: Não conte a ninguém

Título: Não conte a ninguém
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Ano: 2009
ISBN: 978-85-99296-51-6

SINOPSE: 
Há oito anos, enquanto comemoravam o aniversário de seu primeiro beijo, o Dr. David Beck e sua esposa, Elizabeth, sofreram um terrível ataque. Ele foi golpeado e caiu no lago, inconsciente. Ela foi raptada e brutalmente assassinada por um serial killer.
O caso volta à tona quando a polícia encontra dois corpos enterrados perto do local do crime, junto com o taco de beisebol usado, para nocautear David. Ao mesmo tempo, o médico recebe um misterioso e-mail, que, aparentemente, só pode ter sido enviado por sua esposa.
Esses novos fatos fazem ressurgir inúmeras perguntas sem resposta: Como David conseguiu sair do lago? Elizabeth está viva? E, se estiver, de quem era o corpo enterrado oito anos antes? Por que ela demorou tanto para entrar em contato com o marido?
Na mira do FBI como principal suspeito da morte da esposa e caçado por um perigosíssimo assassino de aluguel, David Beck contará apenas com o apoio de sua melhor amiga, a modelo Shauna, da célebre advogada Hester Crimstein e de um traficante de drogas para descobrir toda a verdade e provar sua inocência.

Eu já aprendi que Harlan Coben é sempre leitura com garantia de uma boa história com trama bem desenvolvida.
Com  Não conte a ninguém não foi diferente. O livro conta a história de um médico pediatra que após oito anos do assassinato brutal da esposa Elizabeth, tenta ir seguindo com sua vida, mas sem nunca ter superado sua perda. O assassino da esposa é um serial killer, já condenado pela justiça. E vida de Beck segue, até que um dia ele recebe um estranho email que, ao que tudo indica, teria sido enviado por sua esposa falecida. Ao mesmo tempo, a polícia descobre dois corpos enterrados perto do lago onde o ataque aconteceu oito anos atrás e indícios de que as histórias estariam relacionadas.

A partir dai a vida de Beck vira no avesso: de marido enlutado, passa a principal suspeito pela morte de Elizabeth, transforma-se num fugitivo da polícia, tem o apoio de uma pessoa totalmente improvável (um traficante de drogas) e fica obcecado por descobrir se a mulher que é o amor de sua vida está realmente viva.

Ao longo da trama, novos personagens vão sendo apresentados e no final, tudo está interligado. O final não chegou a me surpreender, mas tem um bom desfecho para uma história que te prende página a página. 
Recomendo!

 O livro já teve uma adaptação francesa para o cinema. Veja o trailler.

A versão americana está em fase de produção e ainda não tem data de estréia definida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário