1 de jun de 2017

Resenha: Harry Potter e a criança amaldiçoada

HARRY POTTER E A CRIANÇA AMALDIÇOADA
Partes um e dois
J.K.Rowling
Rocco, 2016

SINOPSE:
Sempre foi difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele é um sobrecarregado funcionário do Ministério da Magia, marido e pai de três crianças em idade escolar. 

Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo, Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. 

À medida que passado e presente se fundem de forma ameaçadora, ambos, pai e filho, aprendem uma incômoda verdade: às vezes as trevas vêm de lugares inesperados.


Dezenove anos depois....

Elenco da peça
Esse livro, chamado de o oitavo da série Harry Potter, é na verdade um roteiro da peça teatral de Jack Thorne que teve sua estréia em julho de 2016 em Londres. Por se tratar de um roteiro de ensaio, a história é dividida em atos com uma pequena descrição para ambientar a cena, seguida dos diálogos. No início é um pouco estranho ler dessa forma, mas rapidinho isso deixa de incomodar e a leitura flui.
A história tem início no ponto em que terminou HP e as relíquias da morte, 19 anos após a batalha de Hogwarts, quando o filho de Harry com Gina, Alvo Severo Potter está embarcando pela primeira vez para ir a Escola de Magia. Atormentado com a ideia de que seja escolhido para a Sonserina, Alvo logo se aproxima de Escórpio, filho de Draco Malfoy. A amizade dos dois não é bem vista pela família Potter, principalmente quando o nome de Voldemort volta a circular no mundo mágico. A trama gira em torno de Alvo, Escópio, da ameaça da volta do mal e da conturbada relação de Harry com seu filho.

Confesso: foi uma delícia poder voltar ao universo HP e "rever" alguns de seus personagens mais marcantes. Apesar de ter lido muitas críticas ao livro, eu gostei muito. Acredito que muitos leitores iniciaram o livro pensando em uma continuação da escrita da JK e estranhou o formato roteiro, sem todos aqueles detalhes incríveis que só ela consegue colocar na história sem deixar maçante. 

E o que falar da edição brasileira feita pela Rocco? Simplesmente sensacional! Capa dura preta com uma sobrecapa em tons de amarelo/dourado linda! Nota 10 para a edição!









Nenhum comentário:

Postar um comentário