20 de jul de 2016

Resenha: A garota na teia de aranha - Millennium 4

A garota na teia de aranha
David Lagercrantz
Companhia das Letras, 2015

SINOPSE:
Uma muralha virtual impenetrável: é assim que se pode definir a rede da NSA, a temida agência de segurança americana. Quando a mensagem "Você foi invadido" piscou na tela de Ed Needham, responsável pelos computadores que guardam alguns dos maiores segredos do mundo, ele custou a acreditar. A tentativa de localizar o criminoso também não trazia frutos, as pistas não levavam a lugar nenhum, cada indício terminava num beco sem saída. Que hacker seria capaz de algo assim ?Para o leitor que acompanha a série Millennium, criada por Stieg Larsson, só há uma resposta possível: a genial e atormentada justiceira Lisbeth Salander está de volta. Mas por que Lisbeth, uma hacker fria e calculista que nunca dá um passo sem pesar as consequências, teria cometido um crime gravíssimo e ainda provocado de forma quase infantil um dos maiores especialistas em segurança dos Estados Unidos ? Depois de finalmente se livrar da polícia sueca e de todas as acusações que pesavam sobre si, que motivo ela teria para se atirar em outro lamaceiro político ?
É o que se pergunta Mikael Blomkvist, principal repórter da explosiva revista Millennium,além de amigo e eventual amante de Lisbeth. Mas Blomkvist precisa lidar com seus próprios demônios: afundada numa crise sem precedentes, a revista foi comprada por um grupo que pretende modernizá-la. Nada mais repulsivo ao jornalista que prefere apurar e pesquisar suas histórias a ceder às demandas e ao ruído das redes sociais. Ainda assim, há tempos o repórter não emplaca um de seus furos, e por isso não hesita em sair no meio da madrugada para atender a um chamado que promete ser a grande história de sua carreira. 
Presos a uma teia de aranha mortífera. Lisbeth e Blomkvist terão mais uma vez que unir forças, agora contra uma perigosa conspiração internacional.


A trilogia Millenninum de Stieg Larsson é para mim a melhor que já li. Resumo em uma única palavra: genial. Quando soube que um outro escritor estava continuando a história de Lisbeth e Mikael confesso que fiquei muito apreensiva. Como alguém poderia continuar mantendo a alta qualidade?

Quem assumiu essa tarefa foi o escritor sueco David Lagercrantz, repórter policial e autor de diversos romances. Nesse quarto volume da ex-trilogia, agora série Millennium, Lisbeth Salander está de volta! Em A Garota na Teia de Aranha, Lisbeth invade a rede da NSA, agência de segurança americana e um gênio da inteligência artificial é assassinado na frente do filho portador de um distúrbio psicológico (semelhante ao autismo) e com habilidades incríveis para números e desenhos. E quem acaba se envolvendo em todo esse cenário é o jornalista Mikael Blomkvist.

Enfrentando uma péssima fase profissional, Mikael está sendo considerado ultrapassado e está sem escrever uma boa história há tempos. Ele vê nesse estranho caso a chance de retomar sua carreira, ainda mais quando seu caminho cruza com sua amiga Lisbeth, que faz questão de não manter contato com ele.

A Garota na Teia de Aranha envolve espionagem digital, roubo de informações valiosas, organizações criminosas e fantasmas do passado de Lisbeth.

Se David Lagercrantz conseguiu fazer juz a genialidade de Stieg Larsson? Depois de 464 páginas eu posso afirmar que sim! Ele explorou os traços marcantes da personalidade de Lisbeth como alguém que a teria criado, escreveu uma história rica em detalhes, assim como Larsson e se o leitor não souber da “troca” de escritor, possivelmente nem perceberia que foi outra pessoa que continuou a história.

Comecei com medo de me decepcionar e isso não aconteceu!

Nenhum comentário:

Postar um comentário