11 de jun de 2015

Resenha: Eu, Alex Cross


Desde que eu li Os assassinos do cartão-postal, James Patterson entrou na lista de meus escritores de suspense preferidos. Eu, Alex Cross, é o primeiro da série que eu leio, embora seja o oitavo lançado no Brasil.

O detetive Alex Cross está comemorando seu aniversário em família, quando recebe uma ligação da polícia informando que sua sobrinha Caroline foi assassinada e que seus "restos" estão no necrotério. Abalado com a notícia e intrigado pelo termo usado pelo policial, Alex parte imediatamente para acabar descobrindo que sua sobrinha morreu de forma violenta e cruel. E ainda, que Caroline estava se prostituindo. 

Cross começa sua investigação determinado a encontrar o monstro que teria feito aquilo, mas descobre que o assassinato não é um acontecimento isolado, pois outras garotas também desapareceram misteriosamente. Um nome surge: Zeus. Um frequentador de um clube privado que é o principal suspeito, embora ninguém conheça sua verdadeira identidade, apenas que se trata de uma pessoa poderosa.

Para piorar o cenário, pessoas importantes da política podem estar envolvidas, o que faz com que a investigação seja repleta de informações protegidas e ameaças, aumentando ainda mais o mistério.

A narrativa de Patterson é simples e envolvente. Logo na primeiras páginas você já é fisgado pelo mistério que envolve a morte das jovens e passa a montar suas hipóteses. Quando a Casa Branca dá atenção ao caso, ficamos ainda mais intrigados.

Em meio a toda a investigação, Alex ainda tem que lidar com um sério problema de saúde de Nana, a avó que o criou e que ele tem como sua fortaleza. Extremamente afetado pelos acontecimentos, Alex conta com ajuda da namorada e também detetive Brianna.

Todo o mistério gira em torno da identidade de Zeus. Patterson caprichou na crueldade das ações de Zeus, nos detalhes das mortes e na forma como se livram dos corpos. Lembra o que eu disse lá no começo? Os restos de Caroline... Então, chega a dar arrepios de imaginar a cena! 

Posso afirmar que Eu, Alex Cross é uma leitura sensacional e que você vai devorar o livro rapidinho, pois será impossível larga-lo antes de descobrir quem é o poderoso e monstruoso Zeus.

Como eu não li os livros anteriores, eu pouco sei sobre a história de Alex, seus dois filhos, Nana e a namorada. Fiquei curiosa para conhecer sua trajetória e fui pesquisar um pouco. A série Alex Cross tem por volta de vinte livros lançados nos Estados Unidos, mas nem todos vieram para cá. A Editora Arqueiro tem hoje seis livros listados em seu catálogo:



Encontrei dois filmes baseados nos primeiros livros da série, estrelados por Morgan Freeman no papel do detetive:

Em Na Teia da Aranha (2001), Cross investiga o sequestro da filha de um político. Veja o trailler.

Em Beijos que Matam (1997), o detetive investiga o desaparecimento de uma outra sobrinha, que foi sequestrada por um maníaco que mantém jovens reféns e depois as mata. Nesse filme, Freeman divide a cena com Ashley Judd. Veja o trailler.

Ambos os filmes estão disponíveis no Netflix e em versões para assistir on line da internet.

Já leu alguns dos livros da série? Vem me contar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário