15 de out de 2014

Resenha: 4 de julho

Título: 4 de julho
Autores: James Patterson e Maxine Paetro
Editora: Arqueiro
Ano: 2011
Pág.: 224
ISBN: 978-85-8041-020-4

SINOPSE:

Lindsay Boxer é uma policial exemplar. Chefe do Departamento de Homicídios da Polícia de São Francisco, a tenente recebeu várias medalhas e menções honrosas durante seus 10 anos de serviço.
Ao fim de um cansativo dia de trabalho, Lindsay se encontra com Claire Washburn e Cindy Thomas num bar. As três amigas compõem o Clube das Mulheres contra o Crime, grupo que tenta solucionar os casos ocorridos na cidade.
Após alguns drinques, a tenente recebe uma ligação do inspetor Warren Jacobi. Ele acaba de localizar um veículo suspeito, visto na cena de um crime. Em poucos minutos Lindsay está no carro de Jacobi, cruzando a cidade na cola de um Mercedes preto.
Depois de uma longa perseguição, a abordagem policial acaba fugindo do controle. Os dois adolescentes que estavam no carro reagem, descarregando suas armas contra a dupla de policiais. A tenente atira em legítima defesa, mas o resultado é uma menina morta e um garoto tetraplégico. 
Lindsay é acusada, entre outras coisas, de má conduta profissional e se vê num lugar que nunca imaginaria ocupar: o banco dos réus. Será o fim do Clube das Mulheres contra o Crime? A jovem advogada Yuki Castellano conseguirá provar a inocência da tenente? Enquanto aguarda o julgamento, Lindsay decide passar uma temporada em Half Moon Bay. Mas a pacata cidade vem sendo palco de crimes brutais e a polícia parece não fazer nada. Mesmo de licença e fora de sua jurisdição, a tenente resolve investigar os assassinatos, com a ajuda de Claire e Cindy. Para sua surpresa, ela encontra ligações entre aquelas mortes e um caso ocorrido 10 anos antes, que ainda é uma mancha em sua carreira.

Este foi o segundo livro de James Patterson que eu li, o primeiro foi Os assassinos do cartão-postal que eu gostei muito. 4 de julho pertence a série Clube das Mulheres contra o crime. Como eu não li os três primeiros, fiquei um pouco perdida com a origem do tal "clube". Mas acredito que foi só esse o prejuízo na leitura por não ter lido o inicio da série.

4 de julho parte de um drama profissional e pessoal da tenente Lindsay Boxer. Ao perseguir um carro suspeito, os dois ocupantes do veículo sofrem um acidente e por um erro de avaliação da tenente e seu parceiro, eles tem a oportunidade de atirar nos policiais. Ao se defender, Lindsay mata um e fere o outro. O maior problema? A garota tinha 13 anos e seu irmão 15! Enquanto aguarda o processo judicial que a família dos adolescentes move contra ela, a tenente se refugia na casa da irmã em Half Moon Bay. O que deveria ser umas férias, acaba com Lindsay envolvida na investigação de uma série de crimes que estão apavorando os moradores da cidade.

4 de julho foi uma leitura gostosa e rápida. Na quarta capa tem a frase "As páginas viram sozinhas" e James Patterson para mim é assim mesmo. Sabe aquele livro que você tem que ver o que vai acontecer na sequência? É assim. 
No começo foi um  pouco mais lento, mas depois que engrenou foi difícil de largar. A trama é bem construída, os mistérios vão nos intrigando e os personagens são interessantes. 
Ahh... voltando ao Clube das Mulheres contra o crime, pelo menos nesse livro não vi uma atuação marcante das companheiras de Lindsay. A policial é quem está a frente de toda a trama e suas amigas fazem aparições sutis.

Recomendo! Agora vou partir para o próximo: 5º Cavalheiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário