2 de out de 2015

Resenha: Bartleby, O Escrivão


Pensa naquele livro que você precisa ter, mesmo que nunca pretenda ler, você precisa comprar.
Esse era o meu.

Não vou poder contar muito da história porque eu ainda não li, mas o projeto desse livro é sensacional. Vamos por etapas acompanhadas de fotos:

1-Na hora de comprar o livro, ele vem embalado com a etiqueta “acho melhor não comprar”, ou seja, eu comprei.







2-  Depois de criar coragem para abrir o plástico (com cuidado para não estragar a etiqueta que tem todo o contexto do livro), é preciso descosturar para abri-lo. Sim, o livro vem costurado com linhas e é preciso puxá-las.



3- Quando finalmente abrimos, não há texto, as páginas são todas cinzas, imitando uma parede.





4- Aí você acha tipo uma régua de plástico, que serve para “rasgar” as páginas duplas e, assim, encontrar o texto.






E o mais legal de tudo é que todo esse trabalho faz parte do contexto do livro! É a história de um escrivão de Wall Street que passava os dias virado para uma parede, sem interagir com ninguém.

Para quem trabalha com e aprecia livros, ver um projeto tão diferente e significativo assim, é simplesmente sensacional.

Esse projetos especiais da Cosac nunca decepcionam!


BARTLEBY, O ESCRIVÃO - Uma história de Wall Street
Herman Melville
Cosac

Nenhum comentário:

Postar um comentário