9 de mai de 2017

Resenha: Boneco de Pano


Boneco de pano

Daniel Cole

Arqueiro, 2017

SINOPSE:
Um corpo. Seis Vítimas

VOCÊ ESTÁ NA LISTA DE UM ASSASSINO. E ELA DIZ QUANDO VOCÊ VAI MORRER.

O polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano.
Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf.
Agora, para salvar a vida do amigo, Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente. Ao mesmo tempo, a sentença de morte com data marcada desperta as memórias mais sombrias de Wolf, e o detetive teme que os assassinatos tenham mais a ver com ele – e com seu passado – do que qualquer um possa imaginar.

Um corpo. Seis Vítimas. Falem a verdade, só essa chamada já é intrigante, não é? Boneco de Pano é o livro de estréia de Daniel Cole. E garanto que ele começou muito bem!
A história tem como protagonista o detetive William Fawkes, ou Wolf, como é conhecido. Wolf se tornou famoso ao investigar e se tornar obcecado por um assassino coloca fogo nas suas vítimas e que foi inocentado causando um acesso de fúria no detetive em pleno tribunal e trazendo sérias consequências para sua vida, casamento e carreira. 

Passado alguns anos, Wolf se vê envolvido na investigação de um crime horrível: um corpo é encontrado no apartamento vizinho ao seu. O inédito na história é que o corpo é uma montagem com partes de outros seis corpos. 

Logo em seguida, a imprensa recebe uma lista com os nomes das próximas seis vítimas, com data para dada morte e o mais interessante de tudo: o último nome é justamente o de Wolf. 

Evitar a morte das seis pessoas citadas, outras seis vítimas para serem identificadas e um assassino maluco para ser descoberto. Essa é a nada simples missão da Polícia Metropolitana. Além de Wolf, a detetive Emily Baxter também está encarregada do caso. Para "ajudar" a ex-esposa de Wolf, uma ambiciosa jornalista, Andrea Hall aumenta a exposição do caso na mídia, trazendo ainda mais pressão na equipe policial.

A trama é sensacional e não fica apenas nos fatos policiais, mais vai também nos apresentando pouco a pouco a personalidade e detalhes da vida pessoal do detetive Wolf, de sua colega Emily (ou seria mais que uma colega de trabalho?), as vítimas e os policiais envolvidos no caso. 

As investigações para descobrir a identidade das seis pessoas que "doaram" partes do corpo para a montagem do boneco, como o corpo passou a ser chamado e os esforços da polícia para proteger cada uma das pessoas marcadas para morrer são cenários muito bem construídos no livro e permitem ao leitor acompanhar as linhas de raciocínio e ficar cada vez mais curioso e apreensivo com cada novo acontecimento.

Eu fiquei envolvida com a história página a página e tive sérias dificuldades em pausar a leitura. Devorei o livro rapidinho. O final é muito bem elaborado. Na minha opinião, Cole terminou a história com a mesma genialidade em que a conduziu pelas 332 páginas. 

Para você que curte um bom mistério policial, coloque Boneco de Pano em sua lista de leitura. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário